Animais

UE pede o fim do chumbo nas munições de caça

UE pede o fim do chumbo nas munições de caça

A Agência Europeia de Químicos (ECHA) elaborou um estudo, a pedido da Comissão Europeia, que revela que “o uso de munições de chumbo em zonas terrestres põe um risco tanto à saúde humana como ao ambiente”. O documento recomenda à União Europeia e aos seus Estados-Membros que implementem medidas para restringir ou proibir o uso deste metal.

A ECHA tinha já recomendado a proibição de munições de chumbo em zonas húmidas, em agosto deste ano. A Comissão Europeia tem agora até 17 de novembro para apresentar uma proposta de decisão relativa a esse relatório, mas neste segundo documento a agência europeia adverte que proibir o uso de chumbo nas zonas húmidas não será suficiente.

A ECHA estima que todos os anos cerca de 14000 toneladas de munições de chumbo sejam dispersas fora das zonas húmidas na União Europeia. O resultado prático poderá ser entre 1 a 2 milhões de aves a morrer envenenadas todos os anos na Europa. Só em Espanha, onde 86% do território é cinegético, o chumbo usado para caçar 20 milhões de peças por ano origina cerca de 6000 toneladas de emissões.

Para quem consome carne de caça, diz ainda o estudo, o risco é mais direto, já que a carne de caça na União Europeia contém, em média, entre 12 a 31 vezes mais chumbo do que o máximo permitido para a carne proveniente de explorações agropecuárias.

Os relatórios da ECHA concluem ainda que existem alternativas ao chumbo que permitirão um impacto menor na saúde e no ambiente sem prejuízo económico. Consulte o mais recente relatório aqui.