Nutrição

Proteínas à base de insetos podem ser resposta para melhorar sustentabilidade do setor dos animais de companhia

Proteínas à base de insetos podem ser resposta para melhorar sustentabilidade do setor dos animais de companhia

O mais recente relatório do Painel Intergovernamental para as Alterações Climáticas (IPCC) da ONU afirma que uma dieta à base de plantas e alimentos de origem animal produzidos de forma sustentável pode ajudar a combater as alterações climáticas. Empenhado em ser parte da solução, o presidente da Associação Britânica de Veterinários (BVA), Simon Doherty, defendeu recentemente que as proteínas à base de insetos podem melhorar a sustentabilidade do setor dos animais de companhia.

Citado pelo portal Animal’s Health, o responsável diz que os médicos veterinários britânicos são favoráveis a esta medida, como revela um inquérito recentemente realizado pela associação, em que 89% dos veterinários afirmou que acredita ser preciso fazer mais para promover a sustentabilidade no setor.

“O setor agroalimentar não pode continuar a fazer tudo como sempre fez. O Reino Unido tem uma enorme bagagem em inovação em tecnologia agrícola. Como profissão, devemos continuar a liderar e a adotar tecnologias inovadoras que nos permitam aumentar a produção de insetos a nível industrial e utilizar subprodutos vegetais para criar ingredientes para alimentos para animais de elevada qualidade”, defendeu.

Um estudo científico publicado em 2018 revelou que as dietas à base de insetos podem ser uma boa alternativa proteica para cães com intolerâncias alimentares. Em Portugal, a EntoGreen quer produzir insetos para a produção de proteína e óleo de inseto e acredita que os derivados proteicos de inseto poderão ser incorporados nas rações para animais aquáticos a curto prazo. Recorde a entrevista a Daniel Murta, fundador da empresa, aqui.