Animais de produção

Casos de Peste Suína Africana detetados na Bélgica colocam Europa em alerta

Produtores de suínos obrigados a declarar existências para controlo da doença de Aujeszky

As autoridades belgas notificaram a Organização Mundial de Saúde Animal da deteção de quatro casos de javalis infetados com Peste Suína Africana na zona sul do país. Neste momento, a Europa está em alerta, estando já em marcha medidas para evitar a propagação do vírus.

A Comissão Europeia já veio dizer que considera “a batalha contra a Peste Suína Africana como uma prioridade, já que a doença é uma ameaça para a economia da União Europeia, em particular para os negócios de suínos”.

O último surto conhecido de Peste Suína Africana na Bélgica ocorreu em 1985, afetando 12 explorações pecuárias e um total de 30 mil animais, que tiveram que ser abatidos.

Em agosto, também a China foi afetada por este vírus, tendo sido abatidos mais de 24 mil porcos. O chefe dos Serviços Veterinários da FAO, Juan Lubroth, alertou na altura que “o transporte de produtos à base de carne de porco pode propagar a doença rapidamente”, já que o vírus tem a capacidade de sobreviver durante muito tempo em climas muito frios ou quentes, podendo estar presente em produtos de carne secos ou curados.