Investigação

Investigadores descobrem genes associados à deterioração do esmalte canino

Investigadores descobrem genes associados à deterioração do esmalte canino

Um grupo de investigadores da Faculdade de Veterinária da Universidade de Helsínquia descobriu que, à semelhança dos humanos, os cães possuem os genes ENAM y ACP4, responsáveis pela deterioração do esmalte canino, que pode levar ao desenvolvimento de doença periodontal.

De acordo com os investigadores, “o desenvolvimento do esmalte dentário é um processo complexo e qualquer patologia ou infeção pode reduzir a sua quantidade. E para além das questões estéticas, os problemas relacionados com o esmalte dentário podem ter um grande impacto não só a saúde oral, mas também no bem-estar do animal”.

O que o estudo agora publicado conseguiu demonstrar é que algumas das doenças hereditárias que afetam o esmalte dos cães estão associadas aos genes ENAM e ACP4, também presentes nos seres humanos.

Os investigadores destacam ainda a importância que tem o gene ENAM, que fornece uma proteína chave para o esmalte dentário, já que é fundamental para alcançar a espessura adequada durante o desenvolvimento dentário.

Leia o estudo em detalhe aqui.