Investigação

Investigadores acreditam que animais de companhia podem transmitir novas estirpes de gripe humana

Um grupo de investigadores da Universidade da Coreia acaba de publicar um estudo que sugere que os animais de companhia podem transmitir novas estirpes de gripe humana, sugerindo que se reforce a monitorização a cães e outros animais de companhia.

No estudo, os investigadores afirmam que “até agora, não se tinha tido muito em conta os cães como hóspedes no campo da investigação da gripe. Contudo, depois do primeiro relatório de transmissão interespecífica, a vigilância dos vírus de gripe de animais de companhia deveria ser fortalecida.”

Os autores do estudo lembram ainda que na década de 2000 se registaram vários casos de vírus que conseguiram “saltar a barreira do hóspede”, como é o caso da gripe aviária H3N2 que passou para os cães e se converteu na patologia hoje conhecida como gripe canina.

A Organização Mundial de Saúde (OMS) considera que as mutações de vírus da gripe em animais podem criar pandemias no futuro e defende que terá em conta os animais na definição da sua Estratégia Global contra a Gripe 2019-2030.

Também por isto, tanto a OMS como a União Europeia voltaram recentemente a afirmar que é preciso um foco ‘One Health’ na definição de estratégias de combate às doenças, tanto humanas como animais, uma vez que já foi possível demonstrar que estão intrinsecamente relacionadas.