Animais de companhia e exóticos

Qual a primovacinação aconselhada em animais de companhia? Um guia para tutores

Ílhavo vai ter cheque veterinário

No Dia Mundial da Vacinação Animal, que se celebra hoje, dia 20 de abril, quisemos esclarecer os tutores acerca da primovacinação aconselhada para cães, gatos e exóticos. A médica veterinária Juana Tracana, do Hospital Veterinário do Restelo, explica tudo.

Cães e gatos
Segundo as mais recentes guidelines da Associação Mundial de Veterinários de Animais de Companhia (WSAVA), salvo exceções, o período de primovacinação deverá ter início entre as seis e as nove semanas de idade e manter-se até às 16 semanas, consistindo este plano na administração das vacinas essenciais a cada 3-4 semanas. Para o gato, as vacinas essenciais são contra a rinotraqueíte (herpesvírus felino 1), a panleucopénia (parvovírus felino) e calicivírus felino. Para o cão, as vacinas essenciais são contra a esgana (CDV), hepatite infeciosa canina (adenovírus CAV 1 E 2), parvovirose (parvovírus canino/CPV), parainfluenza canina, leptospiroses e a raiva.

Exóticos
O cumprimento de planos vacinais em outros animais de companhia, como furões, coelhos, porcos vietnamitas, cabras-anãs e aves também é aconselhado.

Juana Tracana, médica veterinária no Hospital Veterinário do Restelo

Juana Tracana, médica veterinária no Hospital Veterinário do Restelo

No caso dos furões, a vacina da raiva é obrigatória e deverá ser reforçada anualmente ou de três em três anos, dependendo da opção comercial da vacina. Como essenciais, dispomos da vacina contra a parvovirose e contra a esgana. O protocolo de primovacinação será semelhante ao dos cães e gatos, com administrações nas oitava, décima primeira e décima quarta semanas, sendo os reforços anuais.

Os coelhos devem ser vacinados contra a doença hemorrágica viral e a mixomatose. A primovacinação deve ser realizada a partir da quinta semana e o reforço é anual.

Os porcos vietnamitas devem ser vacinados a partir das seis semanas contra vários agentes infeciosos que os podem afetar, à semelhança dos suínos de produção, como por exemplo as bordetellas, erypselas, parvovírus, leptospiras e o tétano. A primovacinação consiste na administração de duas doses iniciais, com quatro semanas de intervalo, e reforços anuais.

As cabras-anãs são vacinadas contra clostridiuns, tétano e pneumonias. O plano vacinal consiste na administração de duas primodoses com um intervalo de quatro semanas, seguidas de reforço anual. A data da primeira vacinação depende do início de vida do animal, podendo variar entre a primeira semana e a sexta semana. Em relação às aves de companhia, existem no mercado algumas vacinas individuais com eficácia variável, ficando assim a decisão de vacinação do animal dependente da opinião do médico veterinário.