Animais Errantes

Municípios reforçam medidas para redução de população de animais errantes

Municípios reforçam medidas para redução de população de animais errantes

Com a entrada em vigor da lei que proíbe os abates nos canis municipais, os municípios do País têm vindo a reforçar as medidas de redução da população de animais errantes. É o que estão a fazer as autarquias da Chamusca, no Ribatejo, e de Lagos, no Algarve, com a promoção de campanhas de esterilização gratuitas dos animais.

Na Chamusca, a campanha de esterilização de animais errantes vai agora ser alargada aos animais domésticos do município. Assim, os munícipes que tenham animais de companhia domésticos e que queiram fazer a sua esterilização podem dirigir-se ao Balcão Único do Município ou à Associação dos Amigos dos Animais e do Ambiente da Chamusca (AAAAC) e realizar a marcação do procedimento.

No caso dos animais errantes, a associação irá, em breve, fazer a sua identificação e proceder à recolha e esterilização, acolhendo-os temporariamente no período de recobro após o ato médico-veterinário. De acordo com a Câmara Municipal da Chamusca, até ao final deste ano, está previsto um investimento total de cerca de 25 mil euros para esterilizações de animais, aquisição de chips para animais esterilizados e deslocações necessárias para a sua recolha e tratamento.

Por outro lado, em Lagos, a Câmara Municipal está a promover uma nova campanha de apoio à esterilização de cães e gatos de companhia. O programa destina-se a cães e gatos cujos tutores sejam residentes no concelho de Lagos e não tenham condições económicas para custear os procedimentos cirúrgicos de esterilização, designadamente beneficiários de Rendimento Social de Inserção (RSI), de Complemento Solidário de Idosos (CSI) e outras situações de carência económica.

A campanha abrange animais que estejam devidamente identificados eletronicamente, possuam boletim sanitário com vacina antirrábica atualizada e licenciamento válido emitido pela junta de freguesia da área de residência do tutor. Cada agregado familiar poderá inscrever um máximo de dois animais de companhia.

É o que estão a fazer as autarquias da Chamusca, no Ribatejo, e de Lagos, no Algarve, com a promoção de campanhas de esterilização gratuitas dos animais.

Na Chamusca, a campanha de esterilização de animais errantes vai agora ser alargada aos animais domésticos do município. Assim, os munícipes que tenham animais de companhia domésticos e que queiram fazer a sua esterilização podem dirigir-se ao Balcão Único do Município ou à Associação dos Amigos dos Animais e do Ambiente da Chamusca (AAAAC) e realizar a marcação do procedimento.

No caso dos animais errantes, a associação irá, em breve, fazer a sua identificação e proceder à recolha e esterilização, acolhendo-os temporariamente no período de recobro após o ato médico-veterinário. De acordo com a Câmara Municipal da Chamusca, até ao final deste ano, está previsto um investimento total de cerca de 25 mil euros para esterilizações de animais, aquisição de chips para animais esterilizados e deslocações necessárias para a sua recolha e tratamento.

Por outro lado, em Lagos, a Câmara Municipal está a promover uma nova campanha de apoio à esterilização de cães e gatos de companhia. O programa destina-se a cães e gatos cujos tutores sejam residentes no concelho de Lagos e não tenham condições económicas para custear os procedimentos cirúrgicos de esterilização, designadamente beneficiários de Rendimento Social de Inserção (RSI), de Complemento Solidário de Idosos (CSI) e outras situações de carência económica.

A campanha abrange animais que estejam devidamente identificados eletronicamente, possuam boletim sanitário com vacina antirrábica atualizada e licenciamento válido emitido pela junta de freguesia da área de residência do tutor. Cada agregado familiar poderá inscrever um máximo de dois animais de companhia.