Médicos Veterinários

Luís Montenegro: prática generalizada da One Health teria evitado a crise do coronavírus

Luís Montenegro: prática generalizada da One Health teria evitado a crise do coronavírus

“A prática generalizada da One Health [Uma Só Saúde] teria sido suficiente para evitar a crise que estamos a viver com o COVID-19 ou, pelo menos, teria evitado que este coronavírus tivesse um impacto tão grande”. Quem o diz é Luís Montenegro, médico veterinário e presidente do XVI Congresso Internacional Veterinário Montenegro, que tem início hoje, dia 20 de fevereiro, no Europarque, em Santa Maria da Feira.

“É fundamental, como desafia a Organização Mundial da Saúde [OMS], criar uma abordagem que nos permita projetar e implementar programas, políticas, legislação e pesquisa nas quais as várias disciplinas comunicam e trabalham em conjunto para alcançar melhores resultados de saúde pública”, acrescenta.

A OMS tem vindo a trabalhar com a Organização das Nações Unidas para a Agricultura e a Alimentação e com a Organização Mundial da Saúde Animal, por forma a promover respostas multissetoriais aos riscos de segurança alimentar, riscos de zoonoses e outras ameaças à saúde pública, bem como fornecer orientações sobre como reduzir esses riscos.

Para o médico veterinário, “o mercado de peixe de Wuhan, na China, onde se acredita que a propagação do coronavírus terá ganho maior expressão, tinha condições propícias para infetar o Homem”, devido à falta de higiene e à convivência próxima entre o Homem, animais vivos e mortos. Luís Montenegro considera também que “toda esta situação não tem início na China por acaso”, uma vez que se trata “de um país que tem os condimentos ideais, desde logo um fraco controlo sanitário dos animais selvagens e domésticos”.

É como resposta a estas questões que o Congresso Internacional Veterinário Montenegro vai apresentar um novo espaço nesta edição: a sala One Health, dedicada ao pensamento integrado da saúde animal e humana, que funcionará nos dias 21 e 22 de fevereiro. Esta sala abordará temáticas como a tuberculose no Homem e nos animais, a “Bovinicultura Leiteira” no contexto One Health e a perspetiva norte-americana da One Health.

Focada no tema da Inovação e Desenvolvimento, a edição deste ano conta com médicos veterinários internacionais, entre eles Massimo Petazzoni – responsável pelo implante de próteses biomecânicas, semelhantes às usadas por atletas paralímpicos, num gato – e Ronaldo da Costa, considerado “o maior neurologista veterinário do mundo e eleito o melhor professor da Universidade de Ohio”, segundo Luís Montenegro.