Eventos

Luís Montenegro: “Precisamos de uma medicina única” que promova intercâmbio entre medicinas humana e veterinária

A oitava edição do Congresso VetNoroeste, encontro promovido pelo Hospital Veterinário Montenegro e o Colégio Oficial de Veterinários de Pontevedra, realizou-se este fim de semana, na Galiza. Luís Montenegro, que encabeça o projeto em Portugal, revelou à VETERINÁRIA ATUAL que esta foi mais uma edição de sucesso, acolhendo cerca de 300 profissionais. 

Luís Montenegro, diretor clínico do Hospital Veterinário Montenegro, explica que por detrás do sucesso da edição de 2019 do Congresso VetNoroeste está o tema da anestesia, que nos últimos anos tem sofrido “um processo de atualização muito grande” e tem muitas “novidades”. “Este ano tivemos a ‘nata’ dos anestesistas espanhóis e dois oradores de Portugal, Nuno Paixão e Izaskun Rodríguez García. Além disso, apostámos muito nos workshops, porque nesta área da anestesia, em particular, é importante experimentar”, acrescenta.

“A anestesia e analgesia estão a sofrer um processo de atualização muito grande. Cada vez mais se promove a anestesia e a analgesia para reduzir a utilização de fármacos opióides, até porque já está provado, através da medicina humana, que a anestia loco-regional permite evitar a introdução deste tipo de fármacos”, diz ainda o médico veterinário.

Luís Montenegro defende que o desenvolvimento do conceito ‘One Health’ tem permitido este avanço na medicina veterinária e na área da anestesia, em particular, e o desenvolvimento de novas técnicas menos invasivas e que permitem obter melhores resultados no tratamento do paciente.

“Quer se queira quer não, a medicina humana está sempre um passo à frente, com a vantagem de alguns tratamentos que não funcionam não chegarem a ser praticados na medicina veterinária, porque já se provou que determinados caminhos não servem. Precisamos de uma medicina única que faça a integração entre a medicina humana e a veterinária”, defende ainda.

“Um cliente vê com bons olhos vir a Portugal realizar um tratamento”

Para o médico veterinário, a relação entre o Norte de Portugal e a Galiza tem permitido que o Congresso VetNoroeste cresça de ano para ano. “A Galiza tem uma enorme relação com a medicina veterinária no Norte de Portugal. Acabamos por receber pacientes espanhóis e também aproveitamos os recursos em que eles são mais avançados para conseguir uma melhor prática. Além disso, existe uma ligação sociocultural e isso também tem influência. O Porto está na moda e um cliente vê com bons olhos vir a Portugal realizar um tratamento ou exame que seja recomendado. Causamos alguma admiração e, por outro lado, no plano civilizacional e da forma como se trata o animal, estamos muito mais avançados e isso causa admiração”, explica.

Congresso Montenegro com foco na Inovação

Sobre o Congresso Veterinário Montenegro de 2020, o médico veterinário revela que se irá realizar entre 20 e 22 de fevereiro, com a inovação e o desenvolvimento como foco. “Vamos querer debater os temas emergentes da medicina veterinária, nomeadamente cirurgia laparoscópica e anestesia loco-regional. Queremos, no fundo, abordar os temas que o setor advoga como as melhores práticas. A cirurgia laparoscópica, por exemplo, será o futuro, porque as técnicas são menos invasivas, o que permite uma melhor recuperação do paciente. A tecnologia está a ajudar a desenvolver muito a medicina”, conclui.