Medicina Veterinária

Lisboa já tem ambulância para socorro animal

Lisboa já tem ambulância para socorro animal

A Câmara Municipal de Lisboa entregou esta quinta-feira (4 de julho) uma ambulância para socorro animal à Casa dos Animais de Lisboa.

O veículo foi adquirido através do Orçamento Participativo de Lisboa e representou um investimento de 70 mil euros, estando dotado de meios de emergência médico-veterinária, como máscaras de oxigénio, um kit de reanimação, uma plataforma elevatória para animais de maior porte, uma marquesa, um ponto de água e capacidade para transportar até quatro animais em simultâneo.

Marta Videira, diretora da Casa dos Animais de Lisboa, afirmou durante a apresentação pública do equipamento que, “desta forma, conseguimos prestar melhores cuidados porque somos semanalmente confrontados com situações destas [emergências veterinárias] na cidade”.

Já Fernando Medina, presidente da Câmara Municipal de Lisboa, aproveitou a ocasião para agradecer “ao grupo cívico que se reuniu para apresentar este projeto ao Orçamento Participativo de Lisboa. Foi graças à vossa iniciativa e empenho que nasceu este projeto. Não existiria sem a vossa visão sobre o que deve ser uma cidade e de como devemos tratar os animais. Este projeto só existe pela iniciativa da sociedade civil. Hoje, temos na cidade de Lisboa uma resposta ao bem-estar animal em níveis muito superiores aos que tínhamos há uns anos.”

Carlos Castro, Vereador do Desporto, Higiene Urbana, Proteção Civil e Regimento Sapadores Bombeiros do município de Lisboa, acrescentou que a nova ambulância de socorro animal que irá socorrer os animais da cidade de Lisboa “é uma boa resposta face às necessidades da cidade. É preciso referir um ponto muito importante: temos evoluído muito na cidade de Lisboa nos últimos anos, fruto da sociedade civil. Esta Casa dos Animais é disso exemplo”.

Casa dos Animais de Lisboa recebe ampliação de 1 M

O vereador da Higiene Urbana lembrou ainda que “entre o final deste ano e o início do próximo ano” deverá arrancar a obra de ampliação da Casa dos Animais de Lisboa, uma iniciativa que representará um investimento de um milhão de euros e que permitirá “cada vez mais e melhores condições”.

“É importante também saudar todas as associações que trabalham connosco na promoção do bem-estar animal. Estamos a desenvolver um trabalho muito importante no sentido de montar na cidade uma rede capaz de dar resposta aos vários âmbitos. Por outro lado, também queria destacar o trabalho da União Zoófila. Aprovámos recentemente em reunião de Câmara cem mil euros para que a União Zoófila possa adquirir novos equipamentos e ter uma capacidade de resposta em termos de operações e cuidados aos animais, e temos um projeto conjunto com esta instituição para transferir a União Zoófila do espaço em que está atualmente, nas Furnas, para a zona Norte da cidade e ter, assim, melhores condições não só no quadro local, mas também nacional”, acrescentou.

Carlos Castro sublinhou também que está já em marcha um projeto com a Animalife, que envolverá as juntas de freguesia da cidade, “para prestar apoio, sobretudo às famílias mais carenciadas que têm animais, para que possam continuar a ter esses animais com toda a segurança e condições”. E acrescentou: “Do ponto de vista social, já se percebe hoje que os animais são uma mais-valia na qualidade de vida das pessoas. Quando se atinge uma certa idade, fruto de deixarem de ser ativas, as pessoas tendem a desinteressar-se pela vida e os animais ajudam-nas a adquirir hábitos e rotinas diárias importantes. É necessário que no contexto urbano tenhamos em consideração essa dimensão.”