Galinhas chegaram à América com espanhóis

Galinhas chegaram à América com espanhóis

Uma equipa de investigadores da Universidade Nacional da Austrália revelou que as galinhas que habitam o continente americano chegaram mesmo com os espanhóis no século XV, não havendo indícios de que a espécie tenha sido introduzida antes da viagem de Colombo.

Publicado na revista “Proceedings of the National Academy of Sciences”, o estudo contradiz a teoria de que as primeiras espécies a habitar a América do Sul teriam chegado da Polinésia, no Pacífico, ainda antes da colonização, noticiou a “Folha de S. Paulo”.
A equipa de investigadores, liderada por Alan Cooper, da Universidade Nacional da Austrália, efectuou análises ao sangue de galinhas e comparou milhares de sequências genéticas de galináceos de diversas variedades.
De facto, estudos genéticos anteriores já tinham demonstrado que os ancestrais das actuais galinhas domésticas surgiram na Ásia, onde foram domesticados e introduzidos em território europeu.
Posteriormente, foram levadas para o continente americano, pelos espanhóis, defendem os especialistas.