Quantcast
Investigação

Transfusões de sangue em répteis e anfíbios? Investigador estuda avanços

répteis e anfíbios

É verdade, as transfusões de sangue são uma prática cada vez mais comum em pequenos animais e em exóticos. O VetBloom Blog publicou recentemente um estudo de Stephen Cital, investigador norte-americano que explica que “os animais exóticos sofrem de anemia ou requerem transfusões de sangue devido à perda de sangue, assim como qualquer outro animal”.

Como refere o investigador, as transfusões de sangue nestas espécies ainda são ignoradas devido ao desconhecimento e exequibilidade. “A disponibilidade de um doador é mais difícil quando falamos de espécies exóticas, uma vez que a seleção de um doador é muito importante. Selecionar um doador saudável da mesma espécie é o ideal”, revela.

Ainda assim, como explica o investigador, os substitutos do sangue estão disponíveis fora dos Estados Unidos da América e têm sido usados em várias espécies “com sucesso”. “Estes produtos (Oxyglobin™, Hemopure™, Dextran-Hemoglobin™) podem oferecer uma vantagem aos clínicos ao oferecerem um fornecimento constante, o que faz com que estes não tenham que depender do tempo da recolha, dos fatores de risco e da acessibilidade de um doador”, conclui.

No que diz respeito às transfusões de sangue em répteis e em anfíbios, o cientista revela que de facto estas são as espécies onde menos frequentemente se realizam este tipo de terapias.

“Estas espécies têm atributos regenerativos incríveis e podem tolerar ambientes bastante inóspitos. Estes atributos também são verdadeiros no que diz respeito à sua sobrevivência a condições médicas. Poucos estudos e apenas alguns ensaios clínicos foram feitos em relação às transfusões nestas espécies. A maioria da literatura afasta-se da transfusão de um anfíbio de todo, e indica que é preferível tratar a condição médica por detrás e esperar o melhor”, acrescenta. As transfusões em répteis, por outro lado, são uma terapia considerada mais viável, segundo o cientista.

Saiba mais sobre os trabalhos do investigador nesta área em http://www.stephencital.com/#!publications-and-projects/cuol