Quantcast
Investigação

Investigadores estudam efeitos a longo prazo do parvovírus canino

Investigadores estudam efeitos a longo prazo do parvovírus canino

O parvovírus canino é conhecido por causar danos graves na barreira intestinal e, no caso de cães mais jovens, por afetar as células do miocárdio, podendo originar insuficiência cardíaca aguda e, em muitos casos, morte precoce. Contudo, os seus efeitos a longo prazo têm sido pouco estudados. Por isso, um grupo de investigadores publicou recentemente um estudo que analisa os efeitos deste vírus a longo prazo nos animais que sobrevivem à patologia.

Os investigadores procuraram saber se os cães que sobreviveram a este vírus tinham, ou não, maior risco de desenvolver uma gastroenterite crónica, dermatite atópica ou uma doença cardíaca. Para isso contaram com uma amostra de cães tratados contra o parvovírus canino e fizeram o seu acompanhamento clínico durante 12 meses.

 

Depois desse período, os donos dos cães afetados pelo vírus, e os donos dos cães de um grupo de controlo, responderam a um questionário para despistar a presença de sinais gastrointestinais e cutâneos crónicos, doenças cardíacas e outros potenciais transtornos.

Os resultados agora publicados mostram que os cães que haviam sofrido do vírus desenvolveram problemas gastrointestinais crónicos mais tarde nas suas vidas. Além disso foram observadas diferenças significativas entre os cães que sofreram do vírus e os que não sofreram no que diz respeito a doenças de pele e problemas cardíacos.

 

Assim, os investigadores acreditam que os cães que sobrevivem ao parvovírus canino têm significativamente mais probabilidades de desenvolver doenças gastrointestinais crónicas.

Conheça o estudo em detalhe aqui.

 
Este site oferece conteúdo especializado. É profissional de saúde animal?