Investigação

FDA quer reduzir utilização de cães em estudos clínicos

A FDA, entidade norte-americana responsável pela aprovação de produtos farmacêuticos e pelo controlo de estudos clínicos e científicos, emitiu recentemente um comunicado em que declara a intenção de estabelecer um modelo de investigação sem animais que substitua a necessidade de utilização de cães em estudos científicos.

A organização revela que irá conduzir um estudo com um pequeno número de cães, que serão submetidos a testes sanguíneos minimamente invasivos, com o objetivo de estudar uma forma de eliminar a utilização de cães em determinados tipos de estudos clínicos no futuro.

No âmbito deste estudo, a FDA pretende dividir os cães utilizados em três grupos diferentes que durante vários meses terão que tomar três fármacos distintos. Depois da administração de cada um dos fármacos, os investigadores farão recolhas de sangue para medir os níveis de concentração e comparar com os dados já existentes para estes produtos.

De acordo com a FDA, ao usar os dados recolhidos através das análises sanguíneas, nomeadamente para perceber como os fármacos são absorvidos pelo organismo dos animais, os investigadores poderão desenvolver ferramentas informáticas que mimetizem a absorção destes fármacos em estudos futuros.