Evento

Associação Ciprestes – da evidência científica para a prática

A Associação Ciprestes nasceu este ano com o objetivo de promover e divulgar informação na área da medicina veterinária por forma a esclarecer a população sobre os temas mais importantes relacionados com os animais de estimação e a proporcionar evidência científica aos médicos veterinários. A VETERINÁRIA ATUAL falou com David Ferreira, médico veterinário e fundador desta associação, sobre o SAVE2019 Setúbal ­– Dor em Animais de Companhia, um seminário de anestesia que vai decorrer no dia 5 de outubro e que se vai debruçar sobre a simplicidade da anestesia locorregional.

 

Como é que surgiu a ideia de fundar a Associação Ciprestes?

Em Portugal existem cerca de 6,7 milhões de animais de companhia, com uma ligação forte dos seus tutores. E, estima-se, cerca de 4 500 veterinários ativos a exercerem em animais de companhia, numa comunidade veterinária relativamente jovem, e com uma grande presença nas redes sociais. No entanto, aumenta a desinformação nos tutores devido ao crescimento exponencial de sites, páginas, blogues e artigos clickbait sobre animais de companhia, com reduzida ou nenhuma fundamentação científica. A par de uma opacidade de preços dos serviços médico-veterinários, que leva tutores a fazerem a primeira consulta no “doutor Google” ou “doutor Facebook”.
Por outro lado, e no plano dos profissionais de saúde, são muitos os colegas que exercem com limitado acesso a fontes para discussão científica fundamentada.

Esta é a base da génese da Associação Ciprestes. Nasce de uma necessidade de promover e divulgar informação na área da medicina veterinária que, direta ou indiretamente, leve ao esclarecimento da população em geral acerca dos tópicos mais importantes relacionados com os seus companheiros de quatro patas. E ao enriquecimento científico dos profissionais de saúde médico-veterinária.

David Ferreira, fundador da Associação Ciprestes

Qual é o principal objetivo desta associação?

O pilar de qualquer iniciativa da Associação Ciprestes é “Da evidência científica para a prática”, fomentando uma mentalidade informada, aberta e crítica. O principal objetivo da Associação Ciprestes é promover e divulgar informação científica na área da veterinária e fomentar o conhecimento, tanto a tutores como a profissionais e futuros profissionais de medicina veterinária. Na linha destes objetivos, a Associação Ciprestes seguirá dois vetores: um focado em profissionais de saúde e outro focado nos tutores de animais de companhia.

A iniciativa SAVE (Seminários em Anestesiologia Veterinária), voltada para profissionais, tem como objetivo a formação na área de anestesiologia veterinária a grupos de médicos veterinários e enfermeiros veterinários, e estudantes de medicina veterinária e de enfermagem veterinária. Terá sempre presente uma forte componente associada ao reconhecimento e abordagem efetiva de todos os tipos de dor nos animais de companhia, e à segurança nos procedimentos anestésicos.  Com a base “Da evidência científica para a prática clínica”, o principal objetivo desta iniciativa é magnificamente resumido pelo médico anestesiologista Robert Smith, quando afirma: “There are no safe anesthetic agents, there are no safe anesthetic procedures. There are only safe anesthetists.

A iniciativa PROTECC (Proteja com Conhecimento Científico) visa contribuir para que os tutores dos animais alcancem uma mais fácil compreensão da linguagem e serviços médico-veterinários, por vezes de difícil entendimento para pessoas fora da área da medicina, mas cuja compreensão é fundamental para melhor proteger o seu companheiro de quatro patas, compreender o porquê do custo dos serviços médico-veterinários contratados e saber exigir um serviço veterinário diferenciado e de excelência.

Porque é que começaram pela área da anestesia na organização dos vossos eventos?

Porque tínhamos de começar em algum ponto e esta é área de especialidade de um dos fundadores da associação e administrador do grupo no SAVE no Facebook [David Ferreira]. E porque uma vida sem dor é uma vida confortável, tanto para nós como para qualquer animal, sendo a abordagem da dor e a segurança anestésica áreas prioritárias da Associação Ciprestes.

Entendemos que se pode fazer muito mais e melhor no âmbito do controlo da dor em animais de companhia, alertando mentalidades e contribuindo para o crescimento de uma crítica fundamentada nos tutores e nos profissionais de saúde veterinária.
Apesar de o grupo SAVE – Seminários em Anestesiologia Veterinária ser um grupo de Facebook “fechado”, em apenas um ano tem mais de mil membros, num universo de aproximadamente 4 500 médicos veterinários a exercer animais de companhia. O que reflete, de certo modo, a necessidade em suporte científico nesta área.

“As técnicas simples de bloqueios locorregionais podem ser uma solução bastante eficaz, não só em procedimentos cirúrgicos, mas também em certas situações clínicas, como o alívio de dor na manipulação em otites externas, ou em mudanças de pensos em lesões severas das extremidades, por exemplo”

Pode fazer-nos uma pequena antevisão do SAVE? Quais são as expectativas, pontos de destaque e objetivos deste evento?

A iniciativa SAVE da Associação Ciprestes irá realizar o SAVE2019 na Casa da Baía em Setúbal. Este ano dedica-se à simplicidade da anestesia locorregional. Porquê? Porque consideramos que a anestesia locorregional é uma ferramenta acessível a todos os médicos veterinários e com resultados excelentes no controlo e prevenção da dor em animais de companhia. E, embora se possam utilizar equipamentos e técnicas complexas para a execução de bloqueios nervosos, também é igualmente verdade que se podem usar técnicas simples de bloqueios locorregionais sem recurso a estes equipamentos. Apenas com recurso ao conhecimento e reconhecimento da anatomia topográfica no animal.

Por vezes, a disponibilidade em recursos é limitada na prática clínica e, nestas circunstâncias, o diagnóstico e controlo da dor pode ser mesmo um desafio. Com as consequências, óbvias, refletidas no sofrimento dos animais. As técnicas simples de bloqueios locorregionais podem ser uma solução bastante eficaz, não só em procedimentos cirúrgicos, mas também em certas situações clínicas, como o alívio de dor na manipulação em otites externas, ou em mudanças de pensos em lesões severas das extremidades, por exemplo.

O maior enfoque nas técnicas simples de anestesia locorregional no SAVE2019 vem no seguimento do resultado de uma sondagem realizada aos membros do grupo SAVE, que manifestaram um maior interesse em que se abordassem principalmente estas técnicas.  É nosso objetivo, no SAVE2019, mostrar a simplicidade e a possibilidade da prática da anestesia locorregional, mesmo sem recurso a equipamentos dispendiosos. Apenas sabendo selecionar que fármacos incluir na seringa, onde os depositar e os resultados esperados. Também serão abordadas e discutidas as técnicas mais avançadas de anestesia locorregional com o doutor Jaime Viscasillas, DECVAA, personalidade incontornável em anestesia locorregional no plano internacional.

Assim, no SAVE2019 contaremos com a presença de formadores com um curriculum científico e profissional de excelência, como pode ser observado no site do evento. Em conjunto abordarão, de uma forma pragmática, as áreas pilar das anestesias locorregionais: anatomia, farmacologia e discussão das técnicas mais comummente usadas na prática clínica. Num espaço acolhedor, gentilmente cedido pelo Município de Setúbal, a Casa da Baía, onde se pretende fomentar a partilha de experiências e a criação de um networking em prol da divulgação da sensibilização para o diagnóstico e prevenção/controlo da dor em animais de companhia. Esperamos potenciar este networking ao longo de várias iniciativas SAVE, que serão, à semelhança do SAVE2019, realizadas em locais acolhedores, com disponibilidade limitada de vagas, e sempre com uma vertente social bastante presente, com um cocktail sunset no final de cada evento.