Animais de Companhia

‘Comportamentos indesejáveis’ em cães relacionados com morte precoce

‘Comportamentos indesejáveis’ em cães relacionados com morte precoce

Um estudo publicado na VetCompass, realizado em cães sob cuidados primários veterinários, no Reino Unido, e que morreram antes dos três anos de idade, mostra que um terço (33,7%) morreu devido a “comportamentos indesejáveis”. Os investigadores definem como “indesejáveis” comportamentos como a agressão, o conflito com outros animais e o ataque a outros cães.

De acordo com o estudo, os cães com maior risco de morte precoce são os machos, cães de raças cruzadas e algumas raças como Cocker Spaniel, West Highland white terrier e Staffordshire bull terrier.

Para além disso, os resultados do estudo agora publicados mostram que os cães que exibem este tipo de “comportamentos indesejáveis” têm maior risco de ter o seu bem-estar comprometido, sobretudo porque existe sempre um estado emocional subjacente como o medo e a ansiedade ou devido à forma como os seus tutores tentam corrigir o problema, por exemplo, com recurso a coleiras de choque.

Os autores do estudo defendem que “estes resultados realçam a importância da educação dos tutores para o comportamento dos animais e para aquilo que é considerado um comportamento normal num cão. A perceção humana tem no facto de um comportamento ser considerado desejável ou não”.

Saiba mais sobre o estudo aqui.