Animais

Veterinários espanhóis voluntariam-se para explicar a morte de golfinhos em Cabo Verde

Cerca de 130 golfinhos morreram deste a passada terça-feira (24 de setembro) na praia de Altar, na ilha cabo-verdiana da Boa Vista. A notícia foi avançada pela organização não governamental BIOS.CV, que recolheu amostras de 50 indivíduos para serem analisadas por veterinários espanhóis que se voluntariaram para explicar a morte dos animais.

Ainda não há explicação para o que aconteceu aos golfinhos, mas os animais foram encontrados naquela praia cabo-verdiana encalhados. Carolina Oujo, coordenadora de projetos daquela organização não governamental cabo-verdiana, explicou, em declarações à Lusa: “Apesar das tentativas para os devolver ao mar, com mais de 100 voluntários, ao final do dia, cerca das 16 horas, deixámos a operação, porque não estava a resultar.”

Do grupo inicial de 163 golfinhos que encalharam naquela praia, os elementos da BIOS.CV já contabilizaram a morte de 136, recolhendo amostras de tecido de 50 para posterior análise. Quatro dos animais foram ainda totalmente congelados, em instalações da Câmara Municipal da Boa Vista, e vão ser alvo de necropsias no dia 11 de outubro, por dois veterinários do Instituto de Saúde Animal da Universidade de Las Palmas, nas Canárias, em Espanha.

“Vamos tentar perceber o que esteve na origem deste encalhe em massa e aproveitar a presença destes veterinários para formar alguns técnicos locais, para lidar com este tipo de situação”, diz ainda Carolina Oujo.

Os médicos veterinários espanhóis vão estar em Cabo Verde até 15 de outubro. “Não temos certezas, mas como estes golfinhos têm uma relação social muito forte, talvez tenha acontecido que alguns indivíduos estivessem doentes e deram à praia. Os outros terão vindo atrás. Mas não sabemos ao certo, é apenas uma hipótese”, conclui Carolina Oujo.