Animais Silvestres

Centro de Recuperação de Animais Silvestres de Lisboa já tratou 20 mil animais em 22 anos

Centro de Recuperação de Animais Silvestres de Lisboa já tratou 20 mil animais em 22 anos

A funcionar desde 1997, o Centro de Recuperação de Animais Silvestres de Lisboa (LxCRAS) já tratou mais de 20 mil animais de todo o País. Sediado no Parque Florestal de Monsanto, na capital, este centro tem capacidade para acolher 300 animais por ano.

Recentemente, em declarações à VETERINÁRIA ATUAL, a médica veterinária coordenadora do LxCRAS, Manuela Leite Mira, revelou que, em 2018, cerca de 90% dos animais recolhidos foram aves, 7,2% foram mamíferos e 2,3% foram répteis. À agência Lusa, a coordenadora revela que o centro recebe “praticamente 2000 animais por ano”.

As principais causas para a entrada de animais silvestres no centro gerido pela Câmara Municipal de Lisboa são quedas de ninhos, atropelamentos, colisões, traumas, armadilhas, doenças e até eletrocussões. “Os animais que são aqui entregues têm um único objetivo: serem reabilitados e devolvidos à natureza”, diz ainda Manuela Leite Mira.

Segundo Manuela Leite Mira, o “número de animais [recolhidos] tem aumentado” e costumam “ser entregues no centro ou pelo Serviço de Proteção da Natureza e do Ambiente (SEPNA) da GNR, pela Brigada de Proteção Ambiental (BriPA) da PSP”, pelo ICNF ou por particulares. Contudo, nem todos podem ser acolhidos, já que o LxCRAS só recebe animais da fauna autóctone portuguesa.

Conheça o Centro de Recuperação de Animais Silvestres de Lisboa (LxCRAS) na reportagem publicada pela VETERINÁRIA ATUAL na edição de julho-agosto de 2019.