Nutrição

Dieta à base de leguminosas e Cardiomiopatia Dilatada Canina: FDA explica porque podem estar relacionadas

Dieta à base de leguminosas e Cardiomiopatia Dilatada Canina: FDA explica porque podem estar relacionadas

Depois de um alerta para a influência da alimentação natural, orgânica e sem cereais no desenvolvimento de Cardiomiopatia Dilatada Canina (DCM), a Food and Drugs Administration (FDA), dos EUA, publicou um esclarecimento para responder a todas as questões de tutores de animais, mas também aos médicos veterinários, sobre o tema.

De acordo com a organização norte-americana, depois da publicação do primeiro alerta, a FDA foi “inundada” com emails e cartas de pessoas preocupadas com a possível relação entre o consumo de alimentos para cão com lentilhas, ervilhas, sementes ou batata e a Cardiomiopatia Dilatada Canina.

Conheça as principais respostas da FDA:

Quantos casos já foram reportados à FDA?

“Antes da emissão da primeira notificação pública, em julho, a FDA recebia denúncias esporádicas de casos, nomeadamente 30 cães e 7 gatos. Alguns dos cães mostraram sinais de doença cardíaca, incluindo diminuição de energia, tosse, dificuldade em respirar e episódios de colapso. A FDA está também consciente de que a comunidade de cardiologia veterinária já recebeu alertas para mais casos – cerca de 150 desde julho de 2018.”

Que marcas de comida foram incluídas nos relatórios da FDA?

“Uma gama de diferentes marcas e fórmulas está incluída nestes relatórios. Mas mais do que marcas, contudo, o ponto comum parecem ser as leguminosas, as sementes e/ou as batatas como principal ingrediente desses alimentos. Isto também inclui proteína, amidos e fibras derivadas destes alimentos, como por exemplo proteína de ervilhas, amido de ervilhas ou fibras de ervilhas. Alguns dos casos reportados parecem indicar que os animais não estavam a consumir mais nenhum tipo de alimentos para além destes durante vários meses antes de exibirem os sinais de DCM.”

A FDA sabe o que é que estes alimentos têm que pode estar relacionado com a DCM?

“Nesta fase, não é claro que aspetos destas dietas podem estar relacionados com DCM. A deficiência de taurina está bem documentada como uma potencial causa da DCM, mas não é o único caso. A forma como se relacionam os principais ingredientes e a forma como os cães os processam, a fonte desse ingrediente, o seu processamento e a quantidade usada, assim como outros fatores, também podem estar em causa”.