Animais

Animais vão mesmo poder ir jantar fora…se os restaurantes permitirem

Animais vão mesmo poder ir jantar fora…se os restaurantes permitirem

Os donos de animais de companhia vão poder contar com a companhia dos seus animais quando forem jantar fora. A proposta foi aprovada na passada sexta-feira (13 de outubro) no Parlamento e ainda terá que ser discutida na especialidade, mas sabe-se já que serão os donos dos estabelecimentos comerciais a decidir se deixam ou não entrar animais nos seus restaurantes.

Jorge Cid, bastonário da Ordem dos Médicos Veterinários, disse ao Diário de Notícias que “em abstrato parece-me uma coisa correta, vai haver a hipótese dos donos de restaurantes poderem ou não aceitar animais dentro do seu estabelecimento. Parece-me uma lei acertada, mas também é preciso que haja bom senso dos tutores dos animais.”

De acordo com o representante dos médicos veterinários portugueses “é preciso respeitar o lazer, a sensibilidade e o descanso das pessoas que podem querer estar num sítio lúdico e não serem incomodadas – e isso é válido para os animais, como para as crianças ou até outros adultos que não se saibam comportar.”

As regras de acesso serão ditadas pelos proprietários dos espaços comerciais, seja a utilização de trela ou de transportadores no caso dos animais mais pequenos.

Nuno Magalhães, deputado do CDS –PP ouvido pelo DN, acredita que a proposta d’Os Verdes “é a mais completa” nesse âmbito. “Define cuidados básicos, que o animal deve estar com trela, acompanhado pelo dono ou as restrições aos animais na lista dos perigosos.” No fundo, “o que pode mudar é que alguém que queira abrir um negócio com esta abertura o possa fazer” e esta liberdade “junta-se ao bem-estar animal” de não ficar à porta ou em casa à espera dos donos, refere.

Importa referir que quem aceitar a entrada de animais de estimação no seu estabelecimento deverá ter um dístico à entrada e poderá recusar o acesso ou permanência de animais, quer seja pelo grande porte ou por não terem um comportamento adequado.