Médicos Veterinários

Inquérito avalia impacto da crise do coronavírus em clínicas veterinárias

Inquérito avalia impacto da crise do coronavírus em clínicas veterinárias

A empresa de estudos de mercado CM Research realizou um inquérito sobre o impacto do coronavírus nas clínicas veterinárias de todo o mundo que revela que a situação se está a agravar, especialmente nos países em que o vírus chegou mais tarde.

A primeira vaga do inquérito abrange o período de 14 a 18 de março e a segunda de 27 de março a 2 de abril.

O inquérito foi realizado a clínicas veterinárias de várias dimensões no Reino Unido (208 na primeira vaga e 183 na segunda), França (133 e 109), Alemanha (125 e 114), Itália (140 e 91), Espanha (193 e 129), Estados Unidos (177 e 161) e Austrália (80 e 83).

Os resultados indicam que os veterinários revelam níveis de preocupação pessoal e profissional mais elevados, e que a preocupação profissional prevalece sobre a preocupação pessoal em todos os países, com exceção dos Estados Unidos.

De acordo com o inquérito, em Espanha, 36% dos veterinários estão “extremamente preocupados” no âmbito pessoal, quando no inquérito anterior o valor se fixava em 24%. No plano profissional, a preocupação “extrema” atinge 56% dos veterinários inquiridos.

A maioria dos participantes refere ainda que prevê que a situação se agrave. Porém, a proporção dos que acreditam que será “significativamente pior” diminuiu a favor de “ligeiramente pior” em alguns países.

Em Espanha, 56% acredita que o impacto do coronavírus nas próximas duas semanas será “significativamente pior”, em comparação com os 69% da vaga anterior do inquérito.

Os países mais afetados identificam também um grande impacto nas suas clínicas em todas as áreas, e mais de 9 em cada 10 veterinários no Reino Unido, França, Espanha e Itália mencionam um impacto negativo sobre o número de admissões de pacientes.

Em Espanha, 94% das clínicas veterinárias afirmam ter visto uma redução no número de clientes em relação à semana anterior. No que se refere às consultas, a queda foi de 66% e os rendimentos de 90%. Na primeira vaga do inquérito, a queda nas admissões em Espanha foi relatada por 72% das clínicas.

Verifica-se assim uma variação negativa nos rendimentos em países onde a pandemia se instalou mais tarde, como no caso dos Estados Unidos e Reino Unido, que passaram de 40% para 97% e de 33% para 83%, respetivamente.

A limitação das consultas e a utilização de material de proteção, bem como outras medidas que tinham já sido adotadas por veterinários em Itália e em Espanha, começam agora a ser implementadas no Reino Unido, a França e a Alemanha, e também começam a surgir nos Estados Unidos e Austrália.