Quantcast
Enfermeiros Veterinários

Consultas de enfermagem – A importância da proximidade ao paciente/tutor

Atualmente os enfermeiros veterinários, 15 anos após o aparecimento dos primeiros licenciados em 2006, marcam presença um pouco por todo o País.

Atualmente os enfermeiros veterinários, 15 anos após o aparecimento dos primeiros licenciados em 2006, marcam presença um pouco por todo o País nos Centros de Atendimento Médico Veterinário (CAMV), tanto em clínicas como em hospitais, integrando assim as equipas e conferindo uma multidisciplinaridade importante para a eficiência na dinâmica do dia-a-dia clínico.

Entre as atividades que estes profissionais exercem, de forma abrangente e com várias vertentes de atuação, destacamos a hospitalização, o apoio à cirurgia, à monitorização e suporte anestésico, realização de meios complementares de diagnóstico, mas também a vertente de consultas de enfermagem.

Na maioria das áreas de ação citadas, o enfermeiro veterinário carece de autonomia e responsabilidade técnico-científica, pois existem procedimentos que são realizados com indicação primária médico-veterinária, mas não necessariamente com a presença do clínico; é na componente de consultas de enfermagem que esta autonomia se torna mais evidente, pois o enfermeiro veterinário insere-se, individualmente, com o paciente e o titular.

As consultas de enfermagem abrangem vários aspetos, desde a saúde preventiva, o acompanhamento de pacientes crónicos, tratamentos ambulatórios, controlos pós-cirúrgicos, aconselhamento nutricional (avaliação nutricional, controlo de peso e consequente instauração de nutrição fisiológica ou terapêutica), entre outras intervenções em que o enfermeiro veterinário atua com vários graus de autonomia, em alguns casos com prescrição médica, outros sem aquela indicação explícita.

A existência deste serviço de enfermagem no CAMV confere ao quotidiano de trabalho maior eficiência e eficácia no atendimento dos pacientes e dos seus titulares. Estas não somente são conseguidas pela maior disponibilidade temporal do médico veterinário para ações que são, exclusivamente, da sua competência, potenciando a investigação clínica do caso clínico; assim como enriquece e nutre a relação entre titular e enfermeiro, o que se transformará em confiança e, mais evolutiva e futuramente, fidelização, sendo estas peças essenciais nesse puzzle, por vezes, tão complexo que o binómio titular-profissional veterinário representa. Com isto, não somente beneficiará o corpo clínico e o titular, mas principalmente o paciente, sendo uma vitória conjunta.

A fidelização do titular ao tratamento instituído, denominado pelo termo de língua inglesa: compliance, é conseguida através do acompanhamento com uma periodicidade e frequência ajustadas a cada situação. A falta de compliance dos titulares aos tratamentos, ou aos planos estipulados, devem-se a vários fatores, mas salientamos: a dificuldade ou ausência percetiva do estado de saúde do seu animal e, consequentemente, da necessidade e/ou importância do tratamento a administrar; dificuldade de administração, seja pela destreza técnica necessária ou mesmo relacionado com o carácter do paciente; o esquecimento da realização do tratamento, entre outras.

Com o acompanhamento destes planos de tratamento/vigilância em consultas de enfermagem, sejam ao domicílio ou num CAMV, o feedback é mais presente e o contacto mais frequente, criando um sentimento de segurança e confiança por parte do titular relativo ao seu animal, ciente de que está a receber um acompanhamento cuidado, atento e personalizado. Por outro lado, há comprometimento e autorresponsabilização do titular no cumprimento das indicações da equipa veterinária.

Neste tipo de consultas, além do acompanhamento clínico do paciente em momentos de tratamentos/vigilância em ambulatório, encontra-se uma oportunidade de extrema importância, espaço para poder informar/sensibilizar o titular para necessidades latentes na saúde preventiva e bem-estar do seu animal, oportunidades estas que não são exequíveis explanar numa consulta médica, com a atenção e tempo necessários, mas também com a devida disponibilidade e recetividade do titular para o volume de informação que lhe é passada naquele preciso momento.

Há toda uma panóplia de consultas de enfermagem que podem ser desenvolvidas com focos/temas determinados segundo a etapa da vida do animal e seu contexto clínico, para que assim, igualmente, o volume de informação seja comedido e leigamente explanado, tornando-se dessa forma, mais facilmente percetível pelo titular, que, gradualmente, percebe a necessidade da implementação de cuidados, para o bem-estar do animal.

Este serviço de enfermagem veterinária ao ser disponibilizado no CAMV, contém todas as vantagens citadas, tanto para o próprio CAMV, como para o paciente e seu titular, sendo uma oportunidade de maior visibilidade e credibilização dos enfermeiros veterinários, possibilitando o seu reconhecimento por parte dos titulares dos animais, mas igualmente por outros profissionais veterinários, dado que, a atuação dos enfermeiros veterinários é frequentemente realizada em backoffice e com pouca visibilidade externa.

*

Adérito Ortelá

Secretário da Direção da Associação de Enfermeiros Veterinários Portugueses (AEVP)

www.aevport.pt

**Artigo de opinião publicado originalmente na edição n.º 153 da revista VETERINÁRIA ATUAL, de setembro de 2021.

Este site oferece conteúdo especializado. É profissional de saúde animal?