Medicina Veterinária

FVE publica manifesto com cinco ‘pedidos’ para o próximo Parlamento Europeu

FVE publica manifesto com cinco ‘pedidos’ para o próximo Parlamento Europeu

A Federação Europeia de Veterinários (FVE) publicou um manifesto a propósito das próximas eleições europeias, que acontecem já no próximo dia 26 de maio. No documento, os médicos veterinários europeus debruçam-se sobre cinco temas que consideram merecer a atenção do Parlamento Europeu e lembram que “os veterinários garantem a saúde pública”.

De acordo com a FVE, este manifesto tem o objetivo de “promover e melhorar a profissão veterinária, a saúde e o bem-estar dos animais e a saúde e segurança públicas na Europa”. A FVE recorda ainda que os médicos veterinários são os únicos profissionais que trabalham rotineiramente a relação entre a saúde animal, a saúde humana e o meio ambiente. “Nesse sentido, uma medicina veterinária sustentável está focada em satisfazer as necessidades das pessoas, com o mínimo impacto possível no meio ambiente”.

Os médicos veterinários europeus pedem, assim, aos futuros legisladores políticos da União Europeia que se comprometam com o conceito ‘One Health’ e que apoiem os profissionais sanitários no exercício do papel que desempenham na saúde, bem-estar e proteção animal, assim como na saúde pública e no meio ambiente.

A FVE diz ainda que os antibióticos “são essenciais” para proteger a saúde e o bem-estar animal e que a sua utilização excessiva ou inapropriada pode levar ao desenvolvimento de microrganismos resistentes, “um problema que se tem agravado ao longo do tempo”.

O manifesto pede ainda ao Parlamento Europeu que promova os mais elevados standards de qualidade na educação e na investigação veterinária, uma ação que “terá como consequência manter o alto nível da profissão” e permitir que os veterinários “proporcionem o melhor serviço possível”.

Os médicos veterinários pedem, por fim, que todos os Estados-Membros da União Europeia tenham o mesmo acesso aos medicamentos veterinários, um problema que se tem agravado nas zonas rurais. De acordo com a FVE, este problema, em conjunto com a falta de médicos veterinários, “joga contra a saúde e bem-estar dos animais e das pessoas”.

Leia o manifesto aqui.