Animais de companhia

Falso veterinário injetava cães com insulina até à morte

A PSP de Leiria está a investigar um homem de 30 anos que, alegadamente, se fazia passar por veterinário e treinador de cães para adotar canídeos, provocando-lhes depois a morte, noticiou hoje o Jornal de Notícias.

Segundo o jornal diário, o homem injetava insulina nos animais para os matar, filmando-os depois. Os vídeos, nos quais o suspeito mostrava imagens de cães em sofrimento ou já mortos, eram publicados nas redes sociais.

Entre outras queixas de associações, a mais recente foi apresentada pela Associação Protetora de Animais da Marinha Grande (APAMG), que pediu uma investigação rápida da parte das autoridades e classificou a situação como de “extrema urgência”.

“Estamos perante uma pessoa que adota animais, que ‘lhe morrem nas mãos’ [segundo ele] e, em vez de procurar ajuda imediata, filma e envia vídeos dos mesmos”, lê-se na denúncia da APAMG, citada pelo Jornal de Notícias.

Vários vídeos, fotografias e registos de conversas nas redes sociais entre o homem e membros de associações ou pessoas que lhe entregaram animais foram anexados como prova no inquérito, que se encontra a decorrer.