Investigação

Estudos investigam os mecanismos genéticos que tornam um animal resiliente às condições climáticas

Agência governamental britânica recebe 100 mil dólares para criar vacina para a brucelose

Um novo estudo investigou os mecanismos genéticos que tornam os animais mais resilientes às alterações climáticas. De acordo com os investigadores do Colégio Rural da Escócia (SRUC), responsáveis pela pesquisa, a resiliência dos animais às mudanças climáticas pode ser melhorada através da reprodução seletiva.

A investigação foi realizada com ovinos e caprinos e encontrou variações significativas na forma como cada animal reage às condições meteorológicas oscilantes.

O estudo analisou os registos de desempenho dos animais, juntamente com dados meteorológicos — incluindo a temperatura e humidade médias diárias.

Os investigadores descobriram que a mesma mudança climática pode implicar respostas variadas nos animais. Porém, a produção de alguns não era afetada, mostrando maior resiliência às mudanças climáticas.

Uma proporção significativa da variação observada era genética e hereditária, pelo que os pesquisadores concluíram que a resiliência dos animais às mudanças climáticas pode ser melhorada através da reprodução seletiva.

O estudo faz parte do projeto Horizonte 2020 iSAGE – um projeto de investigação multimilionário financiado pela União Europeia, que tem como objetivo preparar o setor da criação de ovinos e caprinos para o futuro.