Quantcast
Médicos Veterinários

De olhos postos na formação de excelência

A APMVEAC hoje, mais do que nunca, aposta numa estratégia de formação contínua. No início deste ano voltou a renovar-se com as eleições.

Considerada a principal associação técnico-científica da classe médico-veterinária em animais de companhia, a APMVEAC já conta com três décadas de existência. Cresceu, modernizou-se, e hoje, mais do que nunca, aposta numa estratégia de formação contínua e que responda às necessidades de todos os elementos das equipas clínicas. No início deste ano voltou a renovar-se com as eleições para o quadriénio 2021-2024. A passagem do testemunho aconteceu em fevereiro e foi entregue a Emir Chaher − tesoureiro no mandato anterior − que agora assume o cargo de presidente da associação.

A Associação Portuguesa de Médicos Veterinários Especialistas em Animais de Companhia (APMVEAC) foi criada em 1990 e, por isso mesmo, comemora este ano 31 anos. Que balanço faz desde o início da sua existência até agora?

A APMVEAC tem conseguido afirmar-se como a principal associação técnico-científica da nossa classe. Contamos hoje com o maior número de associados de todas as associações médico-veterinárias de Portugal e temos a maior oferta formativa nesta área − oferecemos diversos tipos de recursos para os nossos associados.

O balanço é muito positivo, não obstante termos vivido uma fase com algum retrocesso, conseguimos redefinir a nossa missão e centrar os nossos esforços em oferecer benefícios concretos e de qualidade aos sócios.

Destaco o papel do Dr. Joaquim José Vieira Lopes − fundador, antigo presidente da APMVEAC, e presidente da Mesa da Assembleia Geral do mandato anterior − como elo de ligação às raízes e valores da “família” APMVEAC.

O que mudou desde então?

O modelo tradicional de atividade da APMVEAC centrava-se no congresso anual como principal − ou até única − atividade da associação. Este modelo ficou esgotado e já não respondia aos anseios e necessidades dos médicos veterinários de animais de companhia.

Desde o início do anterior mandato, em 2016, foi posta em marcha uma restruturação e profissionalização administrativa, tendo sido definida uma estratégia assente na formação contínua de elevada qualidade, tanto para médicos veterinários como para enfermeiros e auxiliares veterinários, nas áreas que tinham maior procura e focadas na prática clínica.

Foi também revitalizada a relação e colaboração com os media especializados, indústria, patrocinadores e outros stakeholders que hoje reconhecem na APMVEAC um parceiro fundamental no setor da medicina de animais de companhia.

Foram também reativados e dinamizados os grupos de interesse especial que são o motor impulsionador das formações contínuas e que vão ao encontro dos interesses dos clínicos de animais de companhia.

Retomámos a participação ativa na World Small Animal Veterinary Association (WSAVA), na Federation of Companion Animal Veterinary Associations (FECAVA) e Federación Iberoamericana de Asociaciones Veterinarias de Animales de Compañía (FIAVAC). Este intercâmbio e cooperação internacional colocaram Portugal no seio de uma comunidade global que enriquece e dinamiza a medicina de animais de companhia no nosso País. O maior exemplo disto é a escolha, em 2019, de Lisboa como sede do Congresso Mundial WSAVA em 2023. A APMVEAC candidatou-se ao concurso, no qual se apresentaram muitas outras associações da Europa − levámos muito a sério o processo − e ganhámos. Pela primeira vez na História, o congresso mundial, o maior de animais de companhia do mundo, vai ser em Lisboa.

Pela primeira vez na História, o congresso mundial, o maior de animais de companhia do mundo, vai ser em Lisboa.

Foi também criado um novo site institucional com funcionalidades avançadas e recursos exclusivos para os associados.

Que papel tem tido na comunidade médico-veterinária e de que forma isso se projeta na sociedade em geral?

A APMVEAC tem assumido a sua responsabilidade social e profissional além da formação científica. No que diz respeito à projeção social, tem sido muito importante o seu trabalho na promoção da saúde animal, tendo elaborado várias publicações técnicas em revistas para tutores de animais de companhia ou através do seu trabalho de certificação de displasia de anca e cotovelo colaborando ativamente com o Clube Português de Canicultura (CPC), no sentido de promover uma canicultura mais saudável.

Destacamos o nosso papel na canalização da solidariedade dos colegas e da indústria no âmbito dos incêndios de 2017. Recolhemos mais de 13 000 00€ de donativos e várias toneladas de alimentos para animais que foram distribuídos nas regiões afetadas.

Além disso, a APMVEAC, enquanto associação profissional, tem criado protocolos com prestadores de serviço para médicos veterinários e Centros de Atendimento Médico-Veterinários (CAMV) e também participa ativamente nas temáticas com relevância para a atuação profissional, integrando grupos de trabalho junto com a Ordem dos Médicos Veterinários (OMV) e outras associações da classe. Atua diretamente com contribuições para a revisão do código deontológico, grupo de especialidades, demografia veterinária e licenciamento radiológico, entre outros.

Como avalia os últimos quatro anos e quais são as suas perspetivas para o mandato em vigor, do qual é presidente?

Os últimos quatro anos foram anos de grande sacrifício pessoal por parte de todos os membros dos órgãos sociais. Foi necessário reestruturar administrativamente a associação e só há pouco mais de um ano foi possível contratar apoio administrativo contínuo.

O objetivo da lista eleita é que este seja um projeto de continuidade, superação e empowerment de novos membros e grupos de interesse especial.

O objetivo da lista eleita é que este seja um projeto de continuidade, superação e empowerment de novos membros e grupos de interesse especial.

Quero aproveitar também para reconhecer o papel de liderança e motivação da Dra. Lisa Mestrinho durante estes últimos quatro anos que, junto com uma equipa de colegas de enorme generosidade, permite hoje à APMVEAC prestar o serviço que os seus associados merecem e esperam. A Dra. Lisa Mestrinho continua como membro neste novo mandato, deixa o cargo de direção e assume agora o de presidente da Mesa da Assembleia Geral. A maioria dos órgãos transitam do mandato anterior, mas também há uma renovação com novos membros e a maior parte deles provêm do Grupo de Interesse Especial da associação.

Quais são os principais projetos para este ano?

Pretendemos continuar a apostar no site institucional, que foi modernizado ainda o ano passado, em termos estéticos e tecnológicos. Foi criada uma área reservada para os associados que disponibiliza uma enorme quantidade de recursos clínicos como, por exemplo, webinars, casos clínicos e guidelines. Todos os restantes serviços da associação podem ser geridos através do site e, para dar essa resposta, contamos com uma profissional dedicada a tempo inteiro à parte administrativa da associação.

Ampliámos e melhorámos o programa de formação contínua gratuita para os nosso associados e equipas e criámos uma plataforma de recursos de bem-estar profissional e saúde mental para médicos veterinários. Promovemos a racionalização e simplificação do Licenciamento Radiológico e temos fornecido recursos e soluções aos nossos associados. Mudaram drasticamente as regras e para o nosso setor ficou uma situação confusa e criámos um grupo de trabalho dedicado a essa área, queremos encontrar soluções para os nossos colegas não só na área científica, mas também para solucionar os seus problemas do dia-a-dia.

Pretendemos promover a medicina veterinária com base na evidência em animais de companhia, criar e atualizar as recomendações clínicas e guidelines internacionais, colaborar na elaboração de proposta de novo Decreto Lei e Regulamentação de CAMV ajustada à nossa realidade e continuar a promover a diminuição do IVA dos serviços veterinários.

Vamos criar também uma plataforma online de submissão e avaliação para o programa de despiste de displasia de anca e cotovelo.

Por último, a realização do XXIV Congresso de Especialidades APMVEAC que já tem data − 9 e 10 de outubro de 2021. Nos últimos anos temos optado por um congresso de especialidades, com salas dedicadas a áreas específicas, um modelo que tem tido uma enorme adesão e sucesso. E é este formato que vamos manter este ano também.

Pretendem continuar a apostar em formação virtual?

Seguimos as recomendações da WSAVA e FECAVA e dos patrocinadores em geral. A realidade atual e as guidelines de associações congéneres continuam a manter e a ampliar a oferta formativa virtual pelo menos até ao verão.

Queremos em primeiro lugar salvaguardar a segurança de participantes e palestrantes e evitar cancelamentos. Preferimos poder garantir a realização dos eventos e não criar falsas expectativas.

Confiamos que será possível retomar as formações presencias na segunda metade do ano e realizar o XXIV Congresso APMVEAC em outubro.

Atualmente, quais são as áreas da medicina veterinária de animais de companhia que merecem mais atenção?

Neste momento os médicos veterinários de animais de companhia estão a passar por várias alterações e restruturações formais da atuação das suas práticas. Está a ser revisto o regulamento dos CAMV − têm ocorrido imposições legais que visam a modificação do atual registo de equipamentos radiológicos para um processo mais completo de licenciamento que ainda precisa de ser muito trabalhado.

Na ótica da atualização das boas práticas clínicas, a nossa associação tem promovido, através das suas diversas iniciativas, e sobretudo formações, uma medicina veterinária baseada na evidência. Uma vez que, cada vez mais é um pilar que conduz a uma abordagem mais homogénea e consensual entre profissionais, baseada no que de mais atual se conhece na ciência, em particular na ciência por detrás da clínica de animais de companhia.

O contexto atual de pandemia acentua problemas como o burnout que já afetavam a nossa profissão. Assumimos que a nossa responsabilidade passa por contribuir na promoção do bem-estar profissional e para a saúde mental dos colegas, afastando o tabu e estigma associado a esta problemática e disponibilizando recursos e ferramentas concretas para a mitigar.

A lista vencedora é constituída por:

Assembleia Geral

  • Presidente – Lisa Mestrinho
  • Secretária – Ana Reisinho
  • Secretária – Leonor Iglésias

Conselho Diretivo

  • Presidente – Emir M. Chaher
  • Vice-Presidente – Patrícia Branco
  • Secretária Geral – Ana Filipe
  • Secretária Adjunta – Carolina Brito Monteiro
  • Tesoureiro – Rafael Lourenço

Conselho Fiscal

  • Presidente – Pedro Fabrica
  • Vogal – Carla Lopes
  • Vogal – Inês Pais

Secção Regional Norte

  • Presidente – Felisbina Queiroga
  • Secretaria – Joana Rolo de Sousa

Secção Regional Centro

  • Presidente – Marta Vieira
  • Secretário – João Oliveira

Secção Regional Sul e Ilhas

  • Presidente – Paulo Pereira
  • Secretário – Nuno Alexandre

Comissão Científica

  • Lisa Mestrinho
  • Felisbina Queiroga
  • Manuel Sant’Ana

 

*Artigo publicado originalmente na edição 146,  de fevereiro de 2021, da VETERINÁRIA ATUAL.

Este site oferece conteúdo especializado. É profissional de saúde animal?