Quantcast
Animais de Companhia

Reino Unido: Apenas metade dos gatos recebem cuidados veterinários regulares

Um inquérito online realizado pela Royal Canin revelou que 43% de todos os gatos no Reino Unido e na Irlanda não visitaram um veterinário no último ano. O inquérito, feito a quase dois mil tutores, identificou ainda que 11% dos gatos nunca foram ao veterinário.

Segundo o artigo, publicado pela Veterinary Practice, os tutores inquiridos justificaram as poucas visitas com a aparente saúde do seu animal, afirmando que este não precisava de cuidados médicos.

Os dados aprofundam a situação do Reino Unido e Irlanda, mas a tendência foi verificada num estudo de âmbito global realizado pela marca. 

“Os doentes felinos muitas vezes só mostram sinais clínicos quando uma doença atinge uma fase avançada – doença renal, por exemplo. Encorajar os proprietários a levar os seus gatos para exames veterinários regulares pode permitir uma deteção mais precoce de problemas de saúde e, portanto, uma melhor gestão destes. As taxas veterinárias preventivas são também provavelmente mais acessíveis para os donos de animais de estimação do que o tratamento da doença uma vez que esta se tenha tornado mais grave”, explica John Connor, médico veterinário e diretor de assuntos corporativos da Royal Canin.

O segundo maior motivo apontado pelos detentores para não realizarem visitas mais regulares ao veterinário foi o custo. Mesmo tendo em conta que quase metade dos tutores inquiridos tinham seguro de animais de estimação, quase um quarto referiu que o custo os impedia de levar o seu gato ao veterinário com mais frequência.

Mesmo com várias clínicas cat friendly, especialmente criadas para reduzir o stresse dos gatos durante as visitas ao veterinário, 13% dos tutores afirmaram que o stresse era um dos motivos pelo qual faziam menos visitas ao médico veterinário.

No caso de impossibilidade de levar o gato ao veterinário, 40% afirmaram que tentariam solicitar uma visita ao domicílio, 29% disseram que procurariam informação online e 26% recorreriam a amigos e familiares para pedir conselhos.

“Os gatos com excesso de peso correm um maior risco de desenvolver uma série de condições graves e complexas, mas, mais importante, podem encurtar a sua esperança de vida em quase dois anos (Teng KT et al. Fortes associações de 9 pontos de pontuação da condição corporal com sobrevivência e esperança de vida em gatos. J Feline Med Surg 2018;1-9). Um controlo veterinário mais regular poderia levar a uma melhor monitorização do peso corporal dos nossos pacientes, bem como a uma maior sensibilização do proprietário em relação ao peso do seu gato e à sua saúde geral”, explica Elisabete Capitão, médica veterinária portuguesa e diretora de marketing veterinário da Royal Canin.

De acordo com o artigo, apenas 11% dos tutores acreditavam que o seu gato estava com excesso de peso, contudo, no Reino Unido, 39% dos gatos têm excesso de peso, o que sugere que mais de um quarto dos tutores de gatos inquiridos não tinham conhecimento de que o seu gato estava acima do peso saudável.

Este site oferece conteúdo especializado. É profissional de saúde animal?