- Veterinaria Atual - https://www.veterinaria-atual.pt -

Confirmado caso de cão com resultados positivos nos testes de Covid-19

Contactada pela VETERINÁRIA ATUAL, a perita em biologia molecular, Ângela Xufre, diz que “não há motivos para alarme em relação aos animais”.

Um cão, cujo tutor foi infetado pelo coronavírus, vai ser colocado em quarentena depois de os resultados dos testes de Covid-19 terem dado “positivo fraco” para a presença do vírus.

O animal tinha sido retirado da casa do dono, na última quarta-feira, adiantaram as autoridades de Hong Kong, citadas pela France Press.

 

Até ao momento, não foi possível averiguar se o animal foi efetivamente infetado pelo vírus ou as amostras recolhidas sofreram contaminação ambiental.

As autoridades de Hong Kong já anunciaram que vão colocar os animais dos doentes infetados em quarentena. Hong Kong é assim a primeira província a tomar medidas para conter a propagação do vírus em animais, apesar de ainda não existirem provas científicas de que os animais de companhia possam contrair o novo coronavírus.

 

“Os cães e os gatos podem ser portadores do coronavírus, mas trata-se de uma estirpe diferente, que não infeta seres humanos. Neste caso o resultado obtido para o Covid-19 (a estirpe que infeta humanos) foi um positivo fraco”, explica Ângela Xufre, diretora técnica do laboratório veterinário português DNAtech e doutorada em biologia.

Para ajudar a esclarecer algumas questões que possam surgir relacionadas com o Covid-19 e os animais de companhia, durante a próxima semana, a VETERINÁRIA ATUAL vai ter uma Antena Aberta nas suas redes sociais onde todos poderão colocar as suas questões sobre o coronavírus e a sua relação com os animais, que serão respondidas por Ângela Xufre.

 
De acordo com a diretora técnica da DNAtech, estes são os principais aspetos a ter em conta:

  1. Não sabemos qual foi a técnica usada para detetar o vírus. Pode ter havido uma reação cruzada com o coronavírus, que é um patogénico natural no cão e no gato, e que é diferente do Covid-19. Mesmo que tenham usado a técnica PCR (Polymerase Chain Reaction) pode ocorrer uma reação cruzada. Neste caso é importante fazer a sequenciação – sequenciar todo o genoma da estirpe do vírus isolado do cão – para saber se é efetivamente o Covid-19 ou não.
  2. O cão não apresenta sintomas. Pode estar apenas contaminado pelo ambiente que o rodeia. Segundo os relatórios da World Health Organization os animais de estimação não desenvolvem sintomas associados ao Covid-19.
  3. Caso se confirme que se trata do Covid-19, também não há evidências de que o animal tem capacidade de transmitir o vírus ao ser humano.
  4. O que está a ser feito é o correto – isolar e estudar para perceber. Não há motivos para alarme em relação aos animais perante esta informação e em caso de dúvidas contacte o médico veterinário do seu animal.