Quantcast
Investigação

Cães farejadores alemães detetam covid-19 com 94% de precisão

Uma clínica veterinária alemã treinou cães farejadores para detetarem a covid-19 através de amostras de saliva humanas com 94% de precisão, noticiou a Reuters.

Os cães estão condicionados a cheirar o “odor corona” que vem das células das pessoas infetadas, disse Esther Schalke, uma médica veterinária da escola das Forças Armadas alemãs para cães de serviço. Os cães foram treinados na Escola Superior de Medicina Veterinária de Hannover.

“Fizemos um estudo em que tínhamos cães a cheirar amostras de pacientes positivos e podemos dizer que têm uma probabilidade de 94% no nosso estudo… de que eles conseguem farejá-los”, disse Holger Volk, chefe da clínica veterinária. “Assim, os cães podem realmente cheirar pessoas com infeções e sem infeções, assim como pacientes assintomáticos e sintomáticos com covid-19″, acrescentou.

O governador da Baixa Saxónia (estado do qual Hanover é capital), Stephan Weil, afirmou que ficou impressionado com o estudo e pediu para que fossem feitos testes de viabilidade antes de os cães farejadores serem utilizados no dia-a-dia.

O uso de cães farejadores não é único da Alemanha. Na Finlândia foram treinados cães para a deteção de covid-19 no aeroporto de Helsinki-Vantaa, num projeto-piloto, em setembro. No aeroporto internacional de Santiago, no Chile, também estão a ser usados cães farejadores.

Este site oferece conteúdo especializado. É profissional de saúde animal?