Animais de Companhia

Brasil: mais de 50 cães morrem em abrigo

Seminário Internacional de Medicina Veterinária de Abrigo realiza-se a 28 de junho

No lar temporário Latidos e Miados, na região Metropolitana de Belo Horizonte, no Brasil, 59 cães terão sido envenenados no passado sábado, dia 14 de março. O crime, até ao momento sem suspeitos, terá ocorrido aquando da transferência dos animais para a nova sede do abrigo.

“Levantei-me de manhã, dei-lhes comida, como faço todos os dias. Eles estavam bem, a correr. De repente, por volta meio dia, começaram a brigar, próximo de um muro, onde estávamos a construir canis. Atrás desse muro tem um lote vago. Como lhes tinha dado ração, achei que estavam a comer a ração, não vi que tinham pegado outra coisa”, conta Cláudia Araújo, detentora do lar temporário e da maioria dos cães assassinados, citada pelo site da publicação O Tempo.

Posteriormente, os cães foram divididos por várias carrinhas para a realização do transporte, mas a meio do trajeto começaram a sentir-se mal.

Apesar das tentativas de Cláudia Araújo para os reanimar, tal não foi possível. A maioria dos cães eram seus e tinham sido recolhidos nas ruas. Entre estes, apenas dois sobreviveram.

Dos 59 cães que faleceram, 11 pertenciam ao deputado Osvaldo Lopes, que atualmente oferece uma recompensa a quem prestar informações sobre um possível suspeito.

A Polícia Civil avançou com os procedimentos necessários para a respetiva investigação.