Estudo

WSAVA discute bem-estar dos médicos veterinários

Especialistas internacionais de renome vão reunir-se no Canadá para discutir as conclusões de um estudo do Grupo Profissional de Bem-estar da World Small Animal Veterinary Association (WSAVA) sobre os riscos e desafios da profissão veterinária. A discussão vai ter lugar durante uma sessão do congresso mundial da associação, em julho.

Intitulada ‘Moldar o futuro: o bem-estar na profissão veterinária’ (Shaping the future: wellness in the veterinary profession), a sessão, no dia 17 de julho, vai ser precedida pela apresentação dos resultados de um estudo no qual participaram mais de quatro mil veterinários de todo o mundo.

Com este estudo, a WSAVA, que representa mais de 200 mil médicos veterinários através de 110 associações mundiais, admite a preocupação crescente em torno do ambiente de trabalho desafiante dos veterinários.

Os resultados do estudo vão ser apresentados pelo co-chair do comité do Grupo Profissional de Bem-estar, Nienke Endenburg. “Os veterinários cuidam dos nossos companheiros animais, mas a questão é, quem é que cuida deles? Enquanto comunidade global, quisemos aprofundar os desafios ao bem-estar enfrentados pelos nossos membros internacionais, e perceber o que têm em comum e em que é que a sua experiência difere”, disse o psicólogo, que trabalha na Universidade de Utrecht, nos Países Baixos.

Ainda segundo Endenburg, os resultados do estudo “vão ser um importante primeiro passo para permitir uma mudança positiva e fomentar o bem-estar dos médicos veterinários no plano global”.

Em 2018, um estudo publicado pela Merck em colaboração com a American Veterinary Medical Association (AVMA) tinha já revelado a prevalência da síndrome de esgotamento profissional na veterinária.