Investigação

Novo tratamento para o osteossarcoma canino pode estar a chegar

Novo tratamento para o osteossarcoma canino pode estar a chegar

Um grupo de investigadores da Universidade do Missouri, nos EUA, está a estudar, em parceria com a empresa de biotecnologia médica ELIAS Animal Health, uma nova imunoterapêutica para o osteossarcoma canino, o tipo de cancro ósseo mais diagnosticado em cães e que, nos EUA, afeta cerca de dez mil animais todos os anos.

Os primeiros resultados desta investigação foram apresentados em outubro de 2018, durante a conferência anual da Veterinary Cancer Society, com os cientistas a revelarem que conseguiram criar uma vacina a partir do tumor do animal que tem a capacidade de potenciar o poder do sistema imunitário do cão para que este elimine o cancro.

Quinze cães com osteossarcoma participaram nesta primeira fase do estudo, completando uma ronda de terapia com esta vacina e outros protocolos terapêuticos habituais. De acordo com os investigadores, os resultados revelam que estes animais tiveram tempos de sobrevivência superiores, com uma média de 415 dias de remissão, mais dias do que os pacientes que são submetidos a amputação ou quimioterapia, que registam um tempo médio de sobrevivência que varia entre os 8 e os 12 meses. Além disso, de acordo com os cientistas, cerca de metade dos cães que receberam todas as variantes terapêuticas ainda estão vivos, sem a doença, cerca de ano e meio depois do tratamento.

Jeffrey M. Bryan, professor de Oncologia e um dos investigadores envolvido no desenvolvimento desta nova terapia, sublinha que, além de terem descoberto que o tratamento é seguro e bem tolerado pelos pacientes, os cientistas acreditam que “esta é a primeira vez que os cães com osteossarcoma experimentaram tempos de sobrevivência tão prolongados sem receberem quimioterapia num ensaio clínico”.

Para já, o tratamento está apenas disponível através da ELIAS Animal Health.