Investigação

Novo estudo realiza análise ante-mortem e post-mortem de coelhos com RHDV2

Novo estudo realiza análise ante-mortem e post-mortem de coelhos com RHDV2

Um estudo britânico recente analisou as condições clínicas ante-mortem e post-mortem de coelhos com doença hemorrágica viral 2 (RHDV2 – rabbit haemorrhagic disease virus 2). A pesquisa relata casos e resultados dos exames de coelhos de companhia que morreram subitamente da doença, que se está a alastrar pelo mundo, chegando até a zonas onde tinha sido anteriormente erradicada.

Os investigadores analisaram casos, descobertas macroscópicas e resultados histopatológicos, no estudo RHDV2 epidemic in UK pet rabbits. Part 1: clinical features, gross post-mortem and histopathological findings, publicado no Journal of Small Animal Practice (JSAP).

“Histórias de casos, descobertas macroscópicas e resultados histopatológicos disponíveis de cerca de 300 coelhos que morreram repentinamente. Destes, 185 (62%) morreram de RHD e mostraram características histopatológicas características da doença hemorrágica viral (DHR), incluindo apoptose e necrose hepatocelular lítica e coagulativa variável, com distribuição variável”, explica a coautora do estudo, Frances Harcourt-Brown, citada pela publicação MRCVS Online.

A DHR é altamente infeciosa e, frequentemente, fatal. Em 2010, surgiu na Europa, pela primeira vez, uma nova variante da doença, a RHDV2, que verificou uma incidência crescente em alguns países. A doença afeta exclusivamente coelhos e algumas espécies e lebres.

A RHDV2 apresenta uma mortalidade variável, além de se verificar a morte súbita na maioria dos casos. O período de incubação oscila entre três e nove dias, sendo que os sinais clínicos poem durar até cinco dias.

“Curiosamente, a evidência macroscópica da doença não estava presente em todos os casos – por exemplo, anomalias hepáticas graves só foram relatadas em 30% dos casos, apesar de todos os casos mostrarem necrose hepatocelular ao exame microscópico”, acrescentou.

De acordo com a autora, a “morte rápida e morte de outros coelhos no agregado familiar eram características comuns da DHR”, além disso a “histopatologia também foi útil na produção de informações valiosas sobre outras causas de morte dos coelhos que não morreram de RHD”.

Por nem sempre se verificarem provas macroscópicas de DHR, a histopatologia é fundamental para o diagnóstico da doença em coelhos de estimação.