Cães de assistência

Natinga Project: empresa treina cães para identificar contaminantes no vinho

Natinga Project: empresa treina cães para identificar contaminantes no vinho

A empresa TN Coopers está a treinar cães para estes sejam capazes de identificar contaminantes e pragas nos seus vinhos. O Natinga Project está a fazer eco na imprensa internacional e pretende colocar “o melhor amigo do homem” a trabalhar em conjunto com os enólogos para detetar contaminantes (TCA e TBA) nos vinhos.

Em declarações à Bloomberg, Michael Peters, enólogo da TN Coopers na Califórnia, nos Estados Unidos da América, explica que depois de treinados, estes cães de assistência “são mais precisos e eficazes que a tecnologia moderna”. De acordo com a empresa, o olfato de um cão é entre 10 mil e 100 mil vezes mais preciso do que o de um humano graças aos cerca de 300 milhões de recetores olfativos que possui.

Na indústria do vinho, o TCA e o TBA são a principal causa do “gosto a rolha”, causando prejuízos de milhares de euros todos os anos. A empresa conta, neste momento, com dois cães da raça Labrador treinados para identificar estes contaminantes nos seus vinhos, mas espera em breve conseguir alargar este projeto a outras explorações da empresa, nomeadamente no Chile.

Recentemente, um grupo de investigadores da Universidade de Rennes, em França, em parceria com a Medical Mutts, organização de cães de assistência dos EUA, já tinha conseguido demonstrar que os cães de assistência conseguem detetar os pacientes epiléticos através de um odor que estes pacientes libertam quando estão a ter uma convulsão.