Investigação

Mutação genética pode ser a causa de problemas respiratórios em cães

Mutação genética pode ser a causa de problemas respiratórios em cães

Um grupo de investigadores do Roslin Institute acaba de publicar um estudo que demonstra que a causa para os problemas respiratórios em cães pode ser uma mutação genética, nomeadamente em raças de braquicéfalos

No âmbito deste estudo, os investigadores contaram com uma amostra de 400 cães da raça Norwich Terrier, analisando o seu ADN e realizando exames clínicos às vias respiratórias dos animais para detetar sinais de doença.

Os resultados agora publicados mostram que em causa pode estar uma mutação no gene ADAMTS3, associado à retenção de fluídos e à inflamação, e comummente encontrado em cães das raças Bulldog Francês e Bulldog Inglês, o que, de acordo com os investigadores, pode explicar porque é que alguns cães sofrem de problemas respiratórios e algumas complicações após as cirurgias para corrigir o problema.

Segundo os autores do estudo, a retenção de fluídos nos tecidos à volta das vias respiratórias pode resultar em problemas respiratórios em cães com esta mutação. Estes problemas são comuns em cães de focinho achatado, que frequentemente sofrem de síndrome respiratória do braquicéfalo. Até aqui, pensava-se que a única causa seria o estreitamento (estenose) das vias respiratórias ao nível do nariz, boca, laringe e traqueia, mas com este estudo ficamos a saber que a mutação do gene ADAMTS3 também pode levar ao desenvolvimento da patologia.

Jeffrey Schoenebeck, um dos autores do estudo, explica que “a síndrome respiratória do braquicéfalo é uma doença complexa. Apesar do formato do crânio continuar a ser um importante fator de risco, o nosso estudo sugere que o estado do gene ADAMTS3 também deve ser considerado”, contudo, sublinha que “são necessários mais estudos para dissecar a natureza complexa desta doença”.

Conheça o estudo em detalhe aqui.