Resistências aos Antibióticos

Lei europeia de medicamentos veterinários “é grande passo” no combate às resistências antimicrobianas

Lei europeia de medicamentos veterinários “é grande passo” no combate às resistências antimicrobianas

A União Europeia adotou uma nova legislação sobre medicamentos veterinários que será aplicável a todos os Estados-membros já a partir de 28 de janeiro de 2022. Vytenis Andriukaitis, comissário europeu de Saúde e Segurança Alimentar, defendeu durante a Conferência de Resistências Antimicrobianas, que se realizou na Holanda, na passada semana, que a nova legislação europeia “é um grande passo” no combate às resistências antimicrobianas.

De acordo com a publicação espanhola Animal Health News, o evento contou ainda com intervenções de Tedros Adhanom Ghebreyesus, diretor-geral da Organização Mundial de Saúde (OMS), María Helena Semedi, diretora-adjunta da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e Agricultura (FAO), e Monique Eloit, diretora-geral da Organização Mundial de Saúde Animal (OIE).

Vytenis Andriukaitis recordou, durante a sua intervenção, que na Europa morrem, em média, cem pessoas por dia devido às resistências aos antibióticos, num total de 700 mil pessoas por ano.

O comissário defendeu ainda que a União Europeia já deu passos importantes para combater o problema, nomeadamente com o primeiro plano de ação apresentado pela Comissão Europeia, em 2011, mas refere que o sucesso das medidas exige “uma visão holística das resistências antimicrobianas e das suas causas”. “Abordar qualquer área por si só não faz sentido. É como apagar um fogo na cozinha e ignorar as chamas no corredor e no espaço de refeições”, disse.

Vytenis Andriukaitis afirmou ainda que a nova legislação europeia de medicamentos veterinários “é um grande passo”, uma vez que vem reforçar a proibição de utilização de antibióticos como profilaxia.

A Federação Europeia de Veterinários (FVE) publicou, recentemente, uma infografia que explica a nova legislação.

Lei europeia de medicamentos veterinários “é grande passo” no combate às resistências antimicrobianas