Quantcast
Animais de companhia

Lançada primeira vacina oral para cães da Europa

IMG   resized

A empresa de saúde animal Zoetis vai lançar no mercado a primeira vacina oral para cães da Europa. Disponível depois do Natal, a vacina vai proteger os caninos contra a Bordetella bronchiseptia, um dos agentes primários da traqueobronquite infeciosa ou “tosse do canil”, como é conhecida entre os detentores.

Durante a apresentação da vacina à imprensa europeia, que decorreu no passado dia 31 de outubro, em Madrid, Eileen Ball, global veterinary lead for companion animals infectious diseases da Zoetis, explicou que a Versican Plus Bb Oral reduz os sinais clínicos e a excreção durante a infeção com Bordatella, pode ser administrada em cachorros a partir dos oito meses de idade e conta com uma duração da imunização de um ano. Pode ainda ser usada com segurança em concomitância com outras vacinas, incluindo a da raiva e leptospirose, permitindo uma aplicação mais confortável do que a maioria das vacinas intranasais ou injetáveis.

 

Apresentada em pipetas de vidro unidose de 1 ml, a vacina é administrada oralmente com a ajuda de uma seringa. Entre os possíveis efeitos secundários nos 14 dias após a toma —considerados “muito raros”— estão leves diarreias e vómitos, descarga nasal ou letargia, bem como uma leve descarga ocular. Todos os sintomas passaram sem necessidade de intervenção. O efeito da imunização é pleno três semanas depois da administração.

Segundo Félix Hernáez, vice-presidente sénior e diretor-geral da marca para o sul da Europa, a vacina deverá chegar ao mercado português “já depois do Natal, entre o final de 2019 e início de 2020”.

 

A empresa, que envolveu cerca de 20 clínicas veterinárias portuguesas nos ensaios clínicos de dois dos seus desparasitantes, criou ainda um conselho consultivo sobre o complexo respiratório infecioso canino, do qual resultou uma revisão de estudos que já foi submetida no Journal of Small Animal Practice.

Michael Day, professor emérito de patologia veterinária na Universidade de Bristol, consultor da Zoetis e membro deste conselho consultivo, sublinhou ainda que não há uma vacina que previna este complexo respiratório, já que é provocado por vários agentes. “A proteção é parcial, [as vacinas] não param a infeção, mas reduzem a sua severidade.” Qual é então o objetivo da vacinação? Segundo o especialista, “induzir a imunidade natural e a memória da resposta imunitária”. “Acho que é muito entusiasmante para os veterinários europeus disporem agora de outra opção de proteção non-core para a Bordetella”, concluiu.

 

Veja um vídeo sobre esta vacina, em que Eileen Ball responde a perguntas da VETERINÁRIA ATUAL.

 
Este site oferece conteúdo especializado. É profissional de saúde animal?