Nutrição Animal

Investigação da FDA revela 16 marcas de nutrição animal que podem estar relacionadas com casos de DCM

Investigação da FDA revela que existem 16 marcas de nutrição animal que podem estar relacionadas com casos de DCM

Em 2018, depois de um alerta de uma clínica veterinária para a possível influência da alimentação natural, orgânica e sem cereais no desenvolvimento de cardiomiopatia dilatada canina (DCM), a Food and Drug Administration (FDA), dos EUA, iniciou uma investigação. Um ano depois, a organização publica o terceiro relatório do processo, revelando que existem 16 marcas que podem estar associadas aos casos de doença reportados.

O relatório revela, pela primeira vez, as marcas de petfood mais frequentemente associadas aos casos de doença reportados por clínicas veterinárias um pouco por todos os Estados Unidos da América. Em causa estão as marcas [por ordem decrescente consoante o número de casos de doença cardíaca reportados] Acana, Zignature, Taste of the Wild, 4Health, Earthborn Holistic, Blue Buffalo, Nature’s Domain, Fromm, Merrick, California Natural, Natural Balance, Orijen, Nature’s Variety, NutriSource, Nutro e Rachael Ray Nutrish.

A cardiomiopatia dilatada canina (DCM), doença analisada no relatório da FDA, resulta, em muitos casos, em insuficiência cardíaca e tem uma vertente genética, diz a organização, revelando ainda que a doença manifesta-se, sobretudo, em cães de raças grandes, apesar de já terem sido reportados casos em cães pequenos.

A maioria dos alimentos em causa nos casos reportados está rotulada como sendo ‘sem cereais’ e contém uma grande porção de leguminosas, sementes e/ou batatas como principal ingrediente. Além disso, de acordo com a FDA, os casos reportados parecem indicar que os animais não estavam a consumir mais nenhum tipo de alimentos além destes durante vários meses antes de exibirem os sinais de DCM.

A FDA conclui o relatório referindo que está “a usar várias ferramentas de base científica para investigar mais sobre a emergência de DCM e a potencial relação com algumas dietas e ingredientes”.

Desde que a FDA começou a receber alertas de casos de DCM em gatos e cães, em 2014, já foram reportados mais de 560 casos de cães com esta doença cardíaca, 119 dos quais acabaram por morrer.