Fumadores têm menos cinco anos de vida

O tabagismo reduz o tempo de vida em, pelo menos, cinco anos, aponta uma nova estimativa sobre os riscos de mortalidade, publicada nos Estados Unidos.

A investigação, divulgada pela revista do Instituto Nacional do Cancro, refere que no caso dos homens que fumam, o risco de virem a morrer de cancro depois dos 60 anos é maior do que o de virem a falecer devido a doença cardiovascular.
Em contrapartida, para aqueles que nunca fumaram a probabilidade de morte por doença cardiovascular ultrapassa em qualquer idade a de morte por cancro do pulmão, cólon ou próstata.
Relativamente ao sexo feminino, o estudo refere que os riscos de cancro de pulmão ou de doenças cardiovasculares são mais elevados até aos 40 anos do que o de morrer de cancro da mama, ao passo que entre as não fumadoras o risco de morte por doença cardiovascular é semelhante ao de vir a falecer por cancro de mama até aos 60 anos.
Ainda segundo a mesma pesquisa, que teve como base estatísticas dos Centros Nacionais de Saúde dos Estados Unidos, os homens, em qualquer idade, têm um maior risco de mortalidade, juntando todas as causas, do que as mulheres, citou o “Diário Digital”.