Investigação

Estudos de caso procuram identificar fatores de risco de lesão renal em cães

Ativação das defesas do mosquito impede propagação da dirofilariose

Os autores de um estudo de caso sobre a lesão renal aguda em cães após anestesia-geral estão a pedir a ajuda dos profissionais do setor para identificar fatores de risco.

Uma série de casos foram publicados na última edição do Journal of Small Animal Practice (JSAP), por forma a identificar fatores comuns, depois da suspeita de um aumento na incidência de lesão renal aguda pós-procedimento em animais sem fatores de risco identificáveis.

No estudo, intitulado Twelve previously healthy non-geriatric dogs present for acute kidney injury after general anesthesia for non-emergency surgical procedures in the UK, Emma Rogers-Smith e os coautores analisaram os registos médicos de 12 cães que apresentaram lesão renal aguda após anestesia geral em três centros de referência multidisciplinares e uma clínica de cuidados primários no Reino Unido.

As informações obtidas incluíram sinalética, anestesia geral, procedimento cirúrgico e gestão pericirúrgica.

Emma Rogers-Smith, residente em medicina interna na Davies Veterinary Specialists, no Reino Unido, e autora correspondente do artigo, explicou, citada na publicação Vet Times, que “uma suspeita de um aumento de cães não geriátricos a sofrer de lesão renal aguda pouco depois dos procedimentos levou a este estudo”.

“Embora os nossos dados apoiassem esta suspeita – que houve um aumento na incidência – , a mudança em si não é estatisticamente significativa e por isso não podemos ser conclusivos. Este estudo é limitado pelo tamanho reduzido da amostra e pela natureza retrospetiva dos dados.”

“Neste momento, não foi encontrado qualquer nexo de causalidade definitivo entre estes casos. Como tal, estamos a instar os clínicos com experiências semelhantes nos últimos 24 meses a entrar em contacto. Esperamos verificar se existe alguma semelhança entre estes casos e, se possível, definir melhor a incidência de lesão renal aguda em animais não geriátricos seguindo procedimentos eletivos”.

Nick Jeffery, editor do JSAP, concluiu que “atualmente, a maioria dos veterinários considera a anestesia geral segura em cães e acalma as preocupações dos tutores de animais de estimação”.