Quantcast
 

Cabo Verde em risco devido à gripe das aves

Cabo Verde: Associação denuncia barbárie contra tubarões

A ministra do Ambiente e Agricultura de Cabo Verde, Madalena Neves, alertou, no dia 23 de Junho, para o risco elevado de focos da gripe das aves no arquipélago, na sequência do país se encontrar na rota de aves migratórias e de praticar uma pecuária muito tradicional.

O Governo cabo-verdiano assegura ter tomado medidas para evitar o aparecimento de focos da gripe aviária. O objectivo do plano governamental, aprovado em 2006, no valor de um milhão de euros, prevê o combate à doença, através de acções de fiscalização.
Madalena Neves explicou que o investimento no plano justifica-se pelo facto de o país estar inserido na rota de migração de aves oriundas do continente africano, da Europa e da Ásia, o que aumenta o risco de o vírus H5N1 chegar a Cabo Verde. «Além disso, os nossos criadores de aves desenvolvem uma actividade familiar e por isso a criação processa-se ao lado das famílias», adiantou a ministra, citada pelo “Diário de Notícias”.
Apesar dos testes em aves selvagens, que foram encontradas mortas no país, terem registado resultados negativos, a detecção do H5N1 na Nigéria e na Mauritânia provocou o alerta em Cabo Verde para a possível chegada da doença ao arquipélago.
«Estamos a implementar um programa grande de introdução de informação ambiental e é importante introduzir elementos de sensibilização nas escolas para identificação dos cuidados em caso de foco de gripe aviária», acrescentou a responsável.

Este site oferece conteúdo especializado. É profissional de saúde animal?