Cirurgia Ortopédica

Bonematrix: de micro-empresa a referência na cirurgia ortopédica

Bonematrix: de micro-empresa a referência na cirurgia ortopédica

O início de 2019 vai ser um marco na história da Bonematrix: está prevista a abertura de um centro de referência, no Porto, com 300m2 dedicados em exclusivo à cirurgia por referência.

Como isto foi possível? Para responder a esta pergunta, e para perceber o nascimento da Bonematrix temos de recuar a 2009, ano em que Jorge Leite trabalhava como cirurgião veterinário numa empresa onde se dedicava, em exclusivo, à área da cirurgia com especial foco na ortopedia. “Foram anos extremamente importantes no meu crescimento como veterinário e cirurgião”, começa por explicar o médico veterinário.

A casuística elevada na antiga entidade empregadora, aliada a um foco e perfeccionismo que lhe é natural permitiram evoluir tecnicamente de forma rápida. Porém, após cinco anos de intenso trabalho, a constante necessidade de evolução e investimento na carreira levou-o a procurar algo mais e acima de tudo algo diferente.

“Procurava a liberdade de poder executar as melhores técnicas cirúrgicas, frequentar os melhores programas de treino no estrangeiro, buscar os melhores mentores, usar os melhores implantes, mesmo que do ponto de vista financeiro essas apostas fossem erradas ou descabidas. Tamanha liberdade só poderia ser conseguida trabalhando por conta própria” o que fez com que Jorge Leite percebesse que o futuro teria de ser a solo. E foi aí que decidiu optar por fundar a própria empresa: Bonematrix.

Tempos difíceis

“Aos 30 anos trabalhava numa grande empresa, fazia apenas cirurgia e tinha um salário excelente, sem trabalhar aos fins-de-semana. Decidir que queria um caminho diferente e abdicar desta posição para conseguir crescer como cirurgião, livre de qualquer regra de gestão, foi das decisões mais corajosas e acertadas que tomei na vida. Quase todos os meus amigos e família me desincentivaram a tomar este passo. Foram tempos difíceis.”

Bonematrix: de micro-empresa a referência na cirurgia ortopédica

Em 2012, Jorge Leite fundou a Bonematrix o que implicou um grande investimento “em equipamento cirúrgico de ponta e num completo stock de implantes de qualidade”, que permitiam ter disponibilidade imediata para operar praticamente qualquer tipo de fratura. “A BoneMatrix começou como uma microempresa de serviços de cirurgia ambulatória. Deslocava-me às clínicas veterinárias para executar cirurgias ortopédicas sempre com o foco na inovação e na qualidade, tanto dos implantes, como das técnicas. Às vezes ganhava muito, outras vezes pouco, muitas vezes até perdia dinheiro, mas era eu que decidia. Os resultados foram aparecendo e a Bonematrix foi crescendo através do boca-a-boca”.

Jorge Leite chegava a fazer mais de quatro cirurgias por dia em cidades diferentes, mas todas tinham algo em comum: “o nível de qualidade era sempre o mesmo, fosse onde fosse a cirurgia”.

O treino e formação avançada como pilar da empresa

A par do trabalho como cirurgião veterinário, a área da formação nunca foi descurada e esteve sempre muito presente. “A profissão de cirurgião é um curso que nunca acaba. Quanto mais aprendo e me treino, mais percebo o que falta aprender. Desde que existe Bonematrix nunca investi menos de 5 mil euros anuais em formação, escolhendo de forma criteriosa cada curso no estrangeiro e estando presente em todos os congressos mundiais e europeus da especialidade desde 2010”.

Jorge Leite sabe que pode não ser uma decisão financeira inteligente, mas “é uma prática que ainda hoje mantenho. A família pergunta-me diversas vezes se o conhecimento que já adquiri não me chega, mas num cirurgião o treino e a formação são para sempre”,

O reconhecimento internacional

Mais recentemente, e com uma regularidade crescente, Jorge Leite tem sido convidado para comparecer como formador em diversos cursos e congressos internacionais, tendo sido formador de cursos de Ortopedia em Valência, Alicante, Milão, e mais recentemente no Congresso Mundial de Ortopedia, em Barcelona. Com cursos já marcados para Lisboa e São Paulo em 2018, Turim e São Paulo em princípio de 2019, a marca Bonematrix posicionou de forma importante a cirurgia ortopédica feita em Portugal no panorama internacional.

“Foi com alguma surpresa que percebi que o valor e qualidade do trabalho desenvolvido na Bonematrix começou a ser reconhecido por cirurgiões conceituados, marcas de implantes e associações internacionais de ortopedia. Gosto imenso de ensinar e acredito que é uma das melhores formas de aprender. Por isso, este ano tem sido particularmente positivo, com presenças em diversos cursos internacionais e a apresentação de várias comunicações científicas em congressos nacionais e internacionais. Dividir a docência de alguns cursos com alguns dos mais conceituados cirurgiões do mundo tem sido um motivo de enorme orgulho e uma grande oportunidade de crescimento.”

Uma equipa e um centro cirúrgico de referência 100% dedicados à cirurgia ortopédica avançada

Com o crescimento da Bonematrix, os dias começaram a ficar muito compridos e foi necessário de partir “para uma dimensão diferente enquanto empresa. Há ano e meio contratei uma enfermeira veterinária, que é a anestesista da equipa e me ajuda a conseguir controlar ainda melhor todos os detalhes em cirurgia. É o meu braço direito do qual já não abdico! Mais recentemente integramos na equipa um segundo cirurgião, jovem e talentoso, com um potencial enorme e que já é parte fundamental na equipa.”

A grande viragem está prevista para o início de 2019, com a abertura de um centro de referência, só de cirurgia, no Porto. “Ao todo serão 300m2 completamente equipados onde só vamos fazer cirurgia por referência. No fundo este é um espaço 100% pensado para permitir qualidade cirúrgica máxima e onde seremos capazes de executar cirurgias mais complexas, com maior rigor, em menos tempo e com menos risco”.

Isto quer dizer que “estaremos disponíveis para colaborar com mais centros clínicos, trabalhando em equipa, resolvendo cirurgicamente os seus casos ortopédicos e dando-lhes consultoria e apoio para que o acompanhamento pós-cirúrgico possa ser feito de forma segura, no centro clínico referenciador. Desta forma procuramos participar de uma forma momentânea na resolução de um problema ortopédico concreto, nunca excluindo o médico veterinário referenciador da equação. A relação entre o paciente, o tutor e o seu médico veterinário de confiança é algo fundamental que tentaremos proteger durante todo o processo”.

Bonematrix: de micro-empresa a referência na cirurgia ortopédica

Nesta metamorfose, a Bonematrix irá passar a funcionar com três valências complementares: “o centro de cirurgia avançada, o serviço de cirurgia ortopédica ambulatória e também a academia de formação. “Na academia Bonematrix queremos ajudar os colegas que colaboram connosco regularmente a diagnosticar melhor e mais precocemente as patologias ortopédicas, fazer melhor uso da radiologia, do monitor, da torre anestésica e dar formação em diversas outras vertentes associadas à cirurgia veterinária e à ortopedia em particular.”

A chegada do 3D

As impressoras de titânio em 3D vieram revolucionar a área médica e os resultados estão à vista. No entanto, a Bonematrix vem produzindo implantes desenhados à medida de cada caso bem antes das impressoras de metal terem surgido. “Há quatro anos que customizo implantes com designs da minha autoria, para fazer face a desafios cirúrgicos particulares. A costumização de implantes representa uma vantagem técnica muito importante em alguns casos e faço-o regularmente, sempre e quando o caso o exige e o dono permite”

O recente aparecimento de tecnologia de impressão de titânio em 3D permitiu à Bonematrix melhorar o processo de obtenção de implantes desenhados à medida. “Esta tecnologia é ainda muito recente. Existem poucas máquinas no mundo com capacidade de ‘imprimir’ pó de titânio de grau médico, com alto grau de precisão, mas de momento este já é o processo com que produzimos os nossos implantes. Trabalhamos com diferentes fornecedores até encontrarmos o parceiro certo que nos consegue imprimir com máxima precisão e qualidade. Neste momento temos uma relação muito próxima com um dos líderes de mercado na área da impressão 3D, com o qual temos dois projetos de investigação e desenvolvimento a decorrer.”

A impressão de qualquer tipo ou forma de implante não é a única novidade tecnológica utilizada correntemente na Bonematrix. O planeamento cirúrgico passou também a poder ser feito em ambiente 3D utilizando um “software que permite, em ambiente 3D, visualizar o esqueleto e a sua lesão, quase como um ‘autocad’ para cirurgiões. Conseguimos cortar, medir e planear antes de a cirurgia acontecer. O processo é moroso e complexo, mas permite-nos antecipadamente planear cada passo da cirurgia em ambiente virtual, executar mesmo a cirurgia na totalidade em ambiente virtual, sonhando e desenhando todo e qualquer implante e instrumento necessário à execução da cirurgia em ambiente real. Os engenheiros com quem trabalhamos imprimem os implantes e instrumentos segundo as nossas instruções, e nós em cirurgia estamos encarregues de executar ao milímetro a cirurgia anteriormente planeada”.

O processo é extremamente “moroso e laborioso, mas permite-nos conseguir soluções únicas e personalizadas que vão desde placas especiais, hemi-próteses de cotovelo ou joelho, exo-endopróteses de substituição total de extremidades, etc. Engenheiros, informáticos, cirurgiões, todos estamos ainda a aprender as potencialidades destas novas tecnologias, mas estou certo de que este será o caminho do futuro”.

No novo centro vai ainda existir um laboratório de treino em cadáveres e em ossos de plástico, dotado de uma impressora 3D. “Uma das coisas que já fazemos em casos particulares é imprimir esqueletos antes da cirurgia, em plástico, para treinar a própria cirurgia, selecionar e moldar implantes e comprovar antecipadamente que tudo vai funcionar. No centro vamos passar a ter o nosso próprio laboratório e impressora, passando a ser mais rápido o processo de obtenção do esqueleto, uma vez que deixamos de precisar de subcontratar este serviço”.