Médicos Veterinários

Abuso de drogas por médicos veterinários em crescimento

Antibioterapia em Medicina Veterinária: tudo o que precisa de saber num curso prático

Com uma das profissões mais sujeitas a stress, depressão e doenças mentais, os médicos veterinários enfrentam um paradoxo que pode ser mortal. De acordo com o website dvm360.com, os médicos veterinários têm ao seu dispor um conjunto de drogas potencialmente aditivas e, aparentemente, o seu consumo está a crescer nos EUA devido à vulnerabilidade psicológica destes profissionais.

“Praticamente não se fazem testes de drogas nas clínicas veterinárias, os procedimentos de controlo de drogas são relativamente permissivos e os programas de assistência são poucos. A vulnerabilidade e o acesso podem levar a um elevado risco de abuso e dependência no setor da veterinária”, refere a publicação.

Um estudo da Substance Abuse and Mental Health Services Administration (SAMHSA) recentemente publicado mostrava que houve um aumento de 51% entre 2013 e 2014 no número de utilizadores de heroína. Contudo, não é apenas o consumo de heroína que está a aumentar. O fentanil, um fármaco do grupo dos opioides entre 25 a 40 vezes mais potente que a heroína, já causou a morte de 700 pessoas nos EUA entre 2013 e 2015.

Os veterinários têm acesso a uma elevada variedade de fármacos potencialmente aditivos e ao mesmo tempo apresentam sintomas de stress e depressão graças às elevadas horas de trabalho, casos difíceis e desafios económicos que enfrentam na sua prática diária, um paradoxo que, de acordo com a publicação, poderá estar a levar a casos de dependência no país.

Um estudo desenvolvido em 2015 e publicado na revista científica Journal of the American Veterinary Medical Association (JAVMA) revelava que 72% dos profissionais de medicina veterinária confessavam já ter trabalhado com alguém de quem suspeitavam que tivesse problemas com drogas. Além disso, 40% dos inquiridos revelaram conhecer alguém que se enquadrava nesse tipo de descrição e 68% defenderam que o problema do consumo de drogas é tão grande na profissão veterinária como no resto da população, se não maior.

Por outro lado, um estudo realizado no país indica que um em cada dez veterinários dos EUA podem sofrer de stress psicológico severo e cerca de um em cada seis apresentam pensamentos suicidas desde que terminaram o seu curso. Este tipo de sintomas podem ser o suficiente para despoletar situações de consumo de drogas e, consequentemente, casos de dependência.