Quantcast
Investigação

Tratamento derivado da curcuma diminui inflamação ocular em cães

Investigadores da Universidade A&M do Texas, EUA, desenvolveram uma terapêutica derivada da curcuma que ajuda na diminuição da inflamação ocular em cães que sofrem de uveíte, uma inflamação do olho que provoca dor e reduz a visão.

Num artigo publicado na Science Advances, e recentemente referido pela publicação Science Daily, Erin Scott, professora assistente na Texas A&M University College of Veterinary Medicine & Biomedical Sciences, em conjunto com os seus colegas, analisa os resultados de testes às propriedades anti-inflamatórias da curcumina, um composto encontrado no curcuma. Os autores descobriram que quando este é processado numa formulação especial de nanopartículas para aumentar a absorção, o composto natural é seguro e eficaz na gestão da uveíte sem quaisquer efeitos secundários conhecidos.

A uveíte – condição comum em cães, humanos e outras espécies – pode ter muitas causas, e ocorre regularmente associada a doenças infeciosas, cancro e doenças autoimunes. A inflamação ocorre também em doentes com cataratas de longa data e após operações de correção de cataratas.

“A inflamação descontrolada dentro do olho, também conhecida como uveíte, é uma das principais causas de complicações após a cirurgia de cataratas em cães. A gestão da inflamação ocular pós-operatória é um grande desafio observado tanto na oftalmologia humana como veterinária”, afirmou Erin Scott, citada pela publicação Science Daily.

Os medicamentos orais atualmente utilizados para tratar a uveíte devem ser adequadamente absorvidos na corrente sanguínea para que os seus efeitos medicinais sejam eficazes. Assim, é necessário que a medicação passe com sucesso através da barreira intestinal.

A administração de medicamentos ao olho apresenta desafios adicionais devido à barreira sangue-ocular – barreira física entre os vasos sanguíneos e os tecidos do olho – que controla rigorosamente que substâncias podem passar para o olho.

É necessário contornar estas barreiras para melhorar a absorção de fármacos, por isso, esta equipa de investigação implementou uma nova formulação de curcumina que melhorou o transporte da substância tanto através das barreiras intestinais e oculares.

Ao adicionar moléculas de nanopartículas que interagem com recetores da transferrina, a curcumina é capaz de atravessar estas barreiras, melhorando a absorção da substância e reduzindo a inflamação ocular.

“Os tratamentos atuais incluem uma combinação de medicamentos anti-inflamatórios sistémicos e tópicos, quer sob a forma de esteroides ou anti-inflamatórios não esteroides (AINE)”, explica Scott.

O que significa que apesar de serem eficazes no tratamento da uveíte, podem causar efeitos secundários indesejados.

A equipa aguarda agora que seja iniciado um ensaio clínico no Texas A&M Veterinary Medical Teaching Hospital, recorrendo a este novo medicamento.