Quantcast
Investigação

Níveis de leptina podem ser usados para detetar cancro de mama felino

níveis de leptina mama

Os níveis de leptina livre diminuem significativamente em gatos com carcinoma mamário (cancro de mama), revelou um estudo do Centro de Investigação Interdisciplinar em Sanidade Animal (CIISA) da Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa. Estes animais de companhia também tinham níveis de leptina sérica significativamente mais baixos.

Os gatos que tinham tumores luminais B e o HER2 positivo são os que mais tiveram os níveis de leptina a diminuir. Os tumores ulcerados e a sobrevivência livre de doença mais curtas foram associados a níveis de leptina sérica acima de 4,17 pg/ml. Contrariamente, níveis elevados de recetor de leptina (ObR) foram encontrados no soro de todos os gatos com carcinoma de mama com níveis superiores a 16,89 ng/ml, normalmente associados a tumores menores, assim como valores negativos no recetor de estrogénio. O aumento dos níveis no soro de Cytotoxic T-lymphocyte antigen 4 (CTLA-4), fator de necrose tumoral α (TNF-α), proteína programada 1 da morte celular (PD1) e do ligando 1 de morte celular programada (PD-L1) foram também registados.

Em amostras tumorais, a leptina estava exageradamente presente em tumores luminais B e HER2, assim como o ObR teve uma presença enorme nos tumores luminais B. Em conjunto, estes resultados apoiam a hipótese de que os níveis de leptina e ObR podem ser usados como biomarcadores de subtipos específicos de carcinomas felinos da mama, e sugerem o uso de antagonistas de leptina como uma ferramenta terapêutica.

O estudo investigou os níveis de leptina e ObR em 58 gatos com carcinoma mamário. Os dados foram comparados com os de animais saudáveis.

Pode ler o estudo completo aqui.

Este site oferece conteúdo especializado. É profissional de saúde animal?