Investigação

Melhor conhecimento do genoma pode ajudar a criar porcos mais saudáveis

DGAV pede aumento na prevenção perante agravamento da peste suína

Cientistas do The Roslin Institute, no Reino Unido, descodificaram na totalidade o genoma do porco num desenvolvimento que facilitará a descoberta de variações genéticas ligadas a traços chave, com várias aplicações.

De acordo com o Vet Times, as descobertas do estudo An improved pig reference genome sequence to enable pig genetics and genomics research podem ajudar a melhorar a reprodução seletiva e possibilitar uma utilização mais precisa das tecnologias de edição de genes para desenvolver porcos com características desejadas, como a resistência a doenças infeciosas.

Um melhor conhecimento do genoma permite também a identificação de semelhanças genéticas entre os suínos e seres humanos, o que vai reforçar a investigação biomédica que recorre a suínos como modelos para estudar a saúde humana.

Perante a melhoria da sequenciação do genoma, foi possível aos investigadores identificar mais 2 500 genes de suínos com uma ligação evolutiva a um gene humano. O número conhecido destes genes é agora 15 500.

O estudo, que contou com 40 cientistas de 15 laboratórios do Reino Unido e dos EUA, foi conduzido por cientistas do Roslin, da Escola de Estudos Veterinários da Universidade de Edimburgo, e do Centro de Investigação de Animais de Carne do Serviço de Investigação Agrícola do Departamento de Agricultura dos EUA.