Conservação

Jardim Zoológico de Lisboa anuncia três novos rugidos

Entre os dias 5 e 10 de junho, o Jardim Zoológico, em Lisboa, assinala a Semana do Ambiente com a apresentação de três crias de Leão-africano (Panthera leo). Com sete meses de idade, os dois machos e uma fêmea aumentaram para dez o número de elementos do clã.

As três crias serão amamentadas pela progenitora ao longo de cerca de dois anos, aprendendo com o grupo, por observação e entre brincadeiras, a caçar, camuflar-se e a compreender a hierarquia estabelecida. De porte majestoso, o Leão-africano é o maior carnívoro do seu continente. O macho é maior e mais pesado do que a fêmea e exibe uma extensa juba, que se começa a evidenciar a partir dos três anos de idade.

Ambos os sexos exibem um tufo de pelos na ponta da cauda, que utilizam na comunicação entre o grupo, além de expressões corporais e vocalizações que resultam em sonantes rugidos.

Classificada como “vulnerável” pelo IUCN (International Union for Conservation of Nature), a espécie encontra-se em acentuado declínio no habitat natural, devido à caça ilegal para obtenção de troféus, à fragmentação do habitat e à perseguição e caça levada a cabo por populações locais, pelo que a reprodução em parques como o Jardim Zoológico assume elevada importância.

Em novembro de 2018, o parque lisboeta tinha já anunciado o nascimento de uma cria de Mainá-do-Bali (Leucopsar rothschildi), uma ave em perigo de extinção.

Durante a Semana do Ambiente, período em que se celebra o Dia do Ambiente e dos Oceanos, o Jardim Zoológico vai organizar várias atividades abertas ao público, como oficinas e encontros com biólogos.