- Veterinaria Atual - https://www.veterinaria-atual.pt -

FECAVA e ESVCE publicam guias para tornar consultas veterinárias mais cómodas

A European Federation of Companion Animal Veterinary Associations (FECAVA) e a European Society of Veterinary Clinical Ethology (ESVCE [1]) publicaram guias para titulares [2] e médicos veterinários para tornar as consultas com cães e gatos na ausência dos tutores mais cómodas para os animais. Os folhetos contam com conselhos sobre como abordar os animais e prepará-los para uma consulta, relata o Portal Veterinaria [3].

Conselhos no caso do cão

A recomendação a este nível passa por lembrar os titulares de que devem ensinar e treinar o seu cão antes de irem a uma consulta para que possam tolerar várias formas de manipulação e até mesmo poder usar um açaime, se necessário. Um açaime de cesto é a opção recomendada, pois permite ao cão mostrar sinais de apaziguamento, como lamber os lábios, bocejar, etc., que são muito úteis para o médico veterinário reconhecer o stresse e a frustração que o cão pode estar a sentir.

 

Entre outras sugestões estão:

  1. Utilize feromonas no difusor durante a consulta;
  2. Limitar o tempo de espera o máximo possível;
  3. Deixar o cão aproximar-se do profissional e não o contrário;
  4. Manusear o cão suavemente, evitando movimentos bruscos;
  5. Reduzir os estímulos visuais: mover calmamente para não desencadear uma reação exagerada ativada pelo movimento; utilização de cobertores e toalhas sobre a cabeça como uma barreira durante o exame.
Conselhos no caso do gato

O transportador deve servir como um lugar seguro para gatos e uma toalha pode ser colocada sobre ele para aumentar a sua sensação de segurança e isolá-la de estímulos visuais do exterior. Sempre que possível, é aconselhável ir por marcação para limitar o tempo de espera. Em alguns casos, pode ser necessário consultar o médico veterinário sobre a necessidade de administrar medicamentos antes da consulta nos gatos que podem ser excessivamente stressados.

 

Entre outras sugestões estão:

  1. Habituar o animal a estar na transportadora algum tempo antes da visita;
  2. Manter uma atitude positiva durante a consulta uma vez que os gatos podem sentir as emoções humanas;
  3. Evitar estímulos visuais, ruídos e cheiros fortes, pois o gato sem o seu dono pode sentir-se muito ameaçado;
  4. Utilizar uma toalha macia para tapar a cara do gato e acomodar o gato na posição exigida por cada procedimento (como uma ecografia).

Pode consultar os guias aqui [4].