- Veterinaria Atual - https://www.veterinaria-atual.pt -

Estudo: Ligação canina entre aprendizagem e divertimento é encontrada

Um estudo da Universidade Eötvös Loránd, na Hungria, encontrou uma ligação entre a aprendizagem e divertimento nos cães, à semelhança de investigação anteriores em humanos.

De acordo com a NBC News [1], a investigadora Claudia Fugazza e os seus colegas inquiriram tutores de 165 border collies [2] sobre a personalidade do seu animal. 21 desses cães eram considerados dotados inteligentemente e os outros 114 foram selecionados aleatoriamente sem ser identificada as suas capacidades. Os investigadores escolheram esta raça canina uma vez que investigação anterior havia demonstrado que eram mais capazes de aprender novas palavras do que outras. Estudos já demonstraram que os border collies conseguem aprender 12 novas palavras por semana e memorizá-las por meses.

 

O questionário categorizou a personalidade dos cães em cinco:

Para a avaliação do divertimento, os tutores foram convidados a classificar os seus cães em três áreas:

 

Quando comparado os dois grupos, o único traço consistentemente diferente foi o de divertimento. O estudo não conseguiu perceber se é o divertimento que ajuda os cães a aprender mais palavras, ou se por serem mais brincalhões acabaram por ter mais oportunidades de aprender. A dúvida surge uma vez que os cães considerados dotados inteligentemente tendem a aprender palavras para objetos quando os tutores brincam com eles, esclarece a investigadora Claudia Fugazza.

Relativamente se os cãos que brincam mais são mais espertos, a investigadora explica que “a inteligência é o resultado de traços cognitivos diversos que permitem aos indivíduos resolver de forma flexível diferentes tipos de problemas”. Já quando se fala em serem dotados “refere-se a uma capacidade extremamente boa no caso de uma habilidade específica.”

 

O especialista em genómica canina, Adam Boyko, esclarece que não é por um cão não aprender palavras facilmente que pode ser considerado menos inteligente.

“Tanto os cães como os lobos são brincalhões quando são pequenos, mas os cães evoluíram para viver no ambiente humano e para responder a pistas sociais”, disse o especialista da Universidade de Cornell. “Não é de estranhar que os mais brincalhões exibam melhor aprendizagem no domínio da aprendizagem das palavras humanas. E não é surpresa que os border collies, que são criados para responder a pistas humanas, mostrem a propensão para aprender palavras mais do que outras raças.”

 

Outras raças de cães podem mostrar inteligência de outras formas, exemplifica Adam Boyko. O especialista gostaria de dar um passo mais além no estudo e olhar para a genética dos cães dotados.

Já o presidente do Center for Canine Behavior Studies, Nicholas Dodma, considera o estudo interessante mas que é necessário replicar num número maior de cães, assim como noutras raças caninas.