Quantcast
Investigação

Estudo avalia bem-estar de equídeos de trabalho no Nepal

Um estudo da associação internacional de proteção animal Donkey Sanctuary analisou as condições que as mulas, burros e cavalos enfrentam enquanto trabalham em fornos de tijolos nepaleses.

Publicado na revista Animals e citado pela MRCVS Online, A New Framework for Assessing Equid Welfare: A Case Study of Working Equids in Nepalese Brick Kilns sugere a implementação de programas de formação para tratadores.

De acordo com Zoe Raw, chefe da investigação global no Donkey Sanctuary, “os burros e mulas de trabalho são a espinha dorsal das economias rurais em todo o mundo, proporcionando às pessoas um meio de ganhar a vida, transportar bens, recolher água ou permitir aos seus filhos o acesso à educação”.

“No Nepal, os burros e mulas de trabalho desempenham um papel crítico; os proprietários dependem dos seus burros e mulas para transportar tijolos dentro dos fornos de tijolos a fim de ganharem a vida e alimentarem as suas famílias. Este trabalho de investigação fornece provas científicas sólidas para demonstrar o valor que os burros e mulas dão às comunidades empobrecidas do Nepal, e demonstra o papel crucial que o bom bem-estar desempenha nestas microeconomias.”

Segundo a pesquisa, a atitude do “manipulador” em relação ao seu equídeo tem impacto nas suas condições de bem-estar, o que levou os investigadores a sugerir a implementação de programas de formação que se concentrem nos impactos de práticas nocivas, como o amarrar.

O estudo utilizou as ferramentas Equid Assessment, Research and Scoping (EARS) e Welfare Aggregation and Guidance (WAG) para destacar os aspetos que influenciam negativamente o bem-estar animal.

“O documento fornece o relato mais detalhado de bem-estar dos equídeos e um fantástico conjunto de dados de base para a construção de estratégias para melhorar o bem-estar dos equídeos que trabalham nos fornos de tijolos do Nepal”, disse Stuart Norris, um estaticista sénior do Donkey Sanctuary.

“A utilização da ferramenta EARS, incorporando tanto a ferramenta WAG e uma análise mais aprofundada para compreender o impacto dos manipuladores no bem-estar dos equídeos, fornece uma ferramenta de monitorização robusta para medir quaisquer intervenções futuras”, acrescentou.

Os investigadores esperam que no futuro sejam adotadas técnicas de investigação robustas para ajudar os animais de trabalho, e também as pessoas, de uma forma mais significativa.